Joe Biden em igreja evangelica
Joe Biden durante campanha eleitoral participou de cultos evangélicos

Os líderes evangélicos que apoiaram a presidência de Joe Biden dos Estados Unidos da América, embora seu histórico seja ruim, agora dizem que se sentem “usados ??e traídos” pelo Presidente dos Estados Unidos porque ele tomou medidas para tornar o aborto mais fácil, incluindo fornecendo financiamento público.

A maioria dos líderes que apoiaram a campanha dos democratas contra o republicano Donald Trump estão ligados à Evangelical Family Life Initiative (Iniciativa Evangélicos Pró-Vida) e agora sentem que cometeram um erro.

A administração Biden declarou recentemente que apoiará um projeto de lei covid-19 que revogará a Emenda Hyde, que restringe o acesso ao aborto ao proibir que fundos federais matem bebês no útero.

No site do movimento Evangélicos Pró-Vida com Biden, os líderes disseram que “se sentem usados ??e traídos”, mas “não têm intenção de simplesmente observar esse esforço de fora”.

“Muitos evangélicos e católicos correram riscos para apoiar Biden publicamente. O presidente Biden e os democratas precisam honrar sua coragem… Apelamos ao presidente Biden para honrar seu compromisso conosco e exigir imediatamente que a Câmara dos Representantes aplique a linguagem Hyde ao American Relief Package”, diz a declaração posta no site.

Apesar de serem uma minoria neste segmento, os evangélicos pró-vida que apoiaram Biden estão agora declarando que “este não é o momento para uma mudança radical nas políticas de aborto de longo prazo” e exortando os democratas do Congresso a “insistir na inclusão da Emenda Hyde. “

Eles alertaram que “se ele não o fizer, a questão será se ainda somos bem-vindos no Partido Democrata”.

Deixe sua opinião