Líderes evangélicos aparecem na lista de site de adultério Ashley Madison

0
756

Noticias gospel Nas últimas semanas, o site de traição Ashley Madison, tornou-se noticia em todo o mundo, após hackers divulgarem dois pacotes com informações e dados pessoais de milhões de usuários. O triste é saber que em meio a esses nomes, encontram-se homens que deveriam ser exemplo para a sociedade. Isso mesmo, nesta lista tem lideres cristãos que estão querendo um relacionamento fora de seu casamento.

Segundo um blog hospedado no site americano Christianity Today, varias igrejas evangélicas em especial nos Estados Unidos, foram atingida ao ver o nome de seus líderes envolvidos em um dos maiores pecados condenado pela Palavra de Deus.

De acordo com a publicação, o diretor do Centro de Estudos Estatísticos LifeWay Research, Ed Stetzer, estima que cerca de 400 pastores, presbíteros, diáconos e líderes de diversos ministérios eclesiásticos, deveram renunciar o seu cargo nas próximas semanas, após seus nomes aparecerem na lista de usuários da Ashley Madison.

noticias-gospel-Ashley-Madison-pastores-site-adulterioStetzer diz que o número é baseado em “conversações com líderes de várias denominações nos EUA e no Canadá“.

Embora tenha afirmado que na lista encontram-se pastores, Stetzer não divulgou o nome de nenhum pastor, apenas o nome da estrela de televisão Josh Duggar, que é conhecido por sua fé e o e o vlogger cristão Sam Rader, com milhares de seguidores.

Ashley Madison – O adultério trás tragédias por isso o evite!

Diante desta situação, muitos pastores estão escrevendo nos dias de hoje no que diz respeito ao adultério, o divórcio, a restauração ou a disciplina da igreja.

Franklin Graham escreveu um post no Facebook, que mostrou sua preocupação, não só pela revelação da infidelidade, mas por suas consequências.

Tragicamente, alguns cometeram suicídio por causa da vergonha e embaraço de seu pecado ao se tornada público”, escreveu Graham. “O efeito domino desta exposição tem sido multifacetado [sic], incluindo fraudes e extorsões de clientes desesperados para parar de expor sua infidelidade. Se você está vivendo com medo por causa dos seus pecados, eu quero que você saiba que seus pecados podem ser perdoados “, continuou Graham.

Thomas Rainer, presidente da LifeWay Research, ligado aos Batistas do Sul, escreveu que “o adultério não é novo no mundo cristão” e sugeriu várias maneiras “em que tanto líderes como membros da igreja podem fazer diante ao escândalo.

Os pastores “devem acompanhar” aqueles que reconhecem o adultério e “aborda-lo com graça“. “Ser cheio da graça não significa que minimizamos os pecados do adultério, a mentira e a traição“, escreveu. “Mas é muito triste e trágico quando os cristãos na lista estão com medo e sem esperança que os não crentes na lista. Temo que alguns cristãos tomaram uma atitude legalista e de juizo quando a graça deve prevalecer“.

O objetivo do ministério para com aqueles que têm cometido adultério é “a restauração do corpo da igreja”, acrescentou Rainer, reconhecendo que a disciplina da igreja como um caminho potencial para a restauração. “Pode levar meses, inclusive anos” para curar estas feridas. “Os pastores e outros lideres da igreja devem estar preparados para fazer diante a este longo prazo“, expressou.

Portal Padom

Com informações Protestante Digital

Deixe sua opinião