eduardo cunhaO líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ) defendeu que “não há o que fazer” para forçar a saída do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) do comando da Comissão de Direitos Humanos.

Há mais de 20 dias, Feliciano é alvo de protestos que o acusam de racismo e homofobia.

Um dos líderes da bancada evangélica, Cunha afirmou que é preciso deixar o deputado mostrar seu trabalho. “Protestam contra a permanência dele, mas nem deixam que ele se manifeste”, disse.

Em entrevista ao programa “Agora é Tarde”, da Band, quinta-feira, Marco Feliciano foi questionado se estava sendo usado pelo PT para distrair o público dos casos de corrupção. “Se isso estiver acontecendo, a presidente Dilma deve estar jogando fora o apoio dos evangélicos para a eleição do ano que vem”, respondeu.

Folha | Portal  Padom

Deixe sua opinião