O padre-cantor português José Luís Borga assegura que a polémica não passa de uma “guerra de marketing”.

A polémica aconteceu na passada semana, quando um pastor norte-americano da Igreja Baptista publicou um comunicado a dizer: “Deus odeia Lady GaGa”. Fred Phelps termina o referido comunicado a dizer “Vais para o inferno”, não sem antes dizer que GaGa é uma prostituta e que incita à rebelião contra Deus.“‘Arte’ e ‘moda’ são os eufemismos, os motes sob os quais a prostituta orgulhosa Lady GaGa ensina a rebelião contra Deus”, diz Phelps antes de questionar: “Será que a cabra pensa realmente que consegue mudar os standards de Deus seduzindo uma geração de rebeldes, levando-os a juntar-se à sua rebelião de punho erguido, nariz no ar e coração duro contra ele?”.
Dois padres portugueses já se pronunciaram sobre o assunto em entrevista ao site IOL Música. O conhecido Padre José Luís Borga, que também mantém uma carreira musical, garante que tudo isto é uma “guerra de marketing”.
Sobre as declarações de Phelps, o padre português diz: “As afirmações revelam algum desequilíbrio. A ser verdade não se diz assim. E se for mentira é uma ofensa. Mesmo que tenha alguma razão acaba por perdê-la depois destas afirmações”.
José Luís Borga mostra-se indignado pelo pastor norte-americano ter falado em nome de Deus, comentando ironicamente: “Se Deus disse isso ao Padre Phelps convém que diga também à cantora para ela saber”.

Blitz / Padom

Deixe sua opinião