franciele-cabeloSÃO PAULO – A polícia investiga um crime fora do comum ocorrido em Franca, a 401 quilômetros da capital paulista. Uma adolescente de 17 anos teve os cabelos roubados por um homem. Franciele Cardoso Pardinho conta que saiu de casa pela manhã para ir à igreja como faz toda semana. Ao passar pela trilha de um terreno, que fica entre a Avenida Hoto Paiva e Anísio Rocha, ela foi atacada. A surpresa era que o ladrão não queria dinheiro e sim o seu cabelo comprido, que batia na cintura.A família registrou boletim de ocorrência. A jovem disse que não sabe o que foi usado para cortar o cabelo e nem conseguiu ver o rosto do assaltante.
– Quando eu fui tentar olhar para trás, a pessoa puxou ainda mais. Depois saiu correndo – afirmou.
Apesar disso, ela espera que ele seja preso. A polícia ainda não tem pistas do ladrão de cabelo, mas suspeita que o cabelo será usado para fins comerciais.
Agora, Franciele tenta se acostumar com o novo visual.
– Ainda não estou conformado, mas me sinto aliviada pelo fato dos ladrões terem roubado só o caleo – diz a jovem.

O caso de Franca não é único no interior de São Paulo. Há dois anos, em Araraquara, cidade a 276 quilômetros de São Paulo, a comerciária Simone Regina Penteado, de 19 anos, teve quase um metro dos seus longos cabelos roubados por um casal, no bairro Vila Xavier. A jovem nunca tinha cortado as madeixas, que eram o seu orgulho.
A comerciária foi surpreendida pelo casal quando voltava para casa, depois de ter assistido ao culto na Congregação Cristã do Brasil. Um homem parou na frente da evangélica e, com uma faca encostada em sua barriga, anunciou o assalto.
– Só queremos o cabelo – disse ele, segundo relato da irmã da vítima Viviane Penteado, de 23 anos.
A comparsa dele agarrou a jovem pelas costas e, num único golpe, cortou o cabelo com uma tesoura na altura da nuca. O casal fugiu levando também o celular de Simone.
Desorientada e chorando muito, a evangélica chegou com dificuldade em casa.
A polícia ficou surpresa com o roubo.
– Nunca tinha visto uma coisa dessas – disse o delegado Jesus Nazaré Romão.
O roubo chocou a família da evangélica.
– A gente fica horrorizada. Nem cabelo a pessoa pode ter mais, que vergonha – desabafou a faxineira Janete Penteado, de 47 anos, mãe da evangélica. Ela contou que o cabelo era o xodó da filha.
– Ela passava horas no banheiro cuidando da cabeleira. Nunca cortou, ia no salão só para aparar as pontas – lembra Janete, revoltada.Os longos cabelos foram cultivados com paciência pela jovem desde criança. Antes do assalto, já somavam quase um metro de comprimento e estavam abaixo da linha da cintura da evangélica.

Assista Abaixo ao video:

Fonte: O Globo e www.padom.com

Deixe sua opinião