Ahmad Masud, líder da Frente de Resistência Nacional do Afeganistão, que lidera a oposição contra o Talibã da única província que não está nas mãos dos insurgentes, descarta categoricamente a entrega do Vale do Panjshir, conforme exigido pelo movimento.

Nesse sentido, ele garante que as forças da oposição responderão ao Taleban se tentarem ganhar o controle daquela área, conforme manifestado em declarações  ao canal Al Arabiya.

“Se os senhores da guerra do Talibã lançarem o ataque, eles irão, é claro, enfrentar nossa forte resistência”, disse Masud, ao anunciar que militares do governo afegão caídos chegaram a Panjshir vindos de outras províncias do país.

Por outro lado, ele alertou o Taleban que o cenário de guerra será ” inevitável ” se eles se recusarem a dialogar. Segundo Masud, o Afeganistão precisa ter um Executivo abrangente que inclua, entre outras forças, o Talibã.

Filho do herói nacional Ahmad Shah Masud, que lutou contra as tropas soviéticas na década de 1980 e depois contra o Talibã na década de 1990, Masud até jurou perdoar os insurgentes pelo assassinato de seu pai, ocorrido dias antes dos atentados 11 de setembro, se os grupos da resistência e os rebeldes chegarem a um acordo.

Nesta semana, o líder do movimento anti-Talibã lançou um apelo à população do país para que se junte à sua causa e seja capaz de reverter a situação, depois que o Talibã tomou a maior parte dos territórios e entrou em Cabul há uma semana.

Ahmad Masud, para a população se unir a ele para combater o Talibã

Ahmad Massoud reuniu uma força de cerca de 9.000 pessoas para conter o Talibã.  (Crédito da foto: AFP)
Ahmad Massoud reuniu uma força de cerca de 9.000 pessoas para conter o Talibã. (Crédito da foto: AFP)

Ahmad Masud,  exortou a população do país a se juntar à sua causa para reverter a situação, depois que os insurgentes tomaram a maioria dos territórios.

Masud, lançou seu apelo da província de Panjshir , o centro histórico da oposição armada, em uma carta publicada na revista francesa La Règle du Jeu”.

“Apelamos a todos os afegãos livres, todos aqueles que rejeitam a  servidão , para se juntarem ao nosso reduto de Panjshir, a última região livre de nossa terra conturbada. Aos afegãos de todas as regiões e tribos, eu digo: lutem conosco !”, diz a carta.

Ao mesmo tempo, Masud foi aos principais países europeus, os EUA e o mundo árabe, pedir sua  ajuda  e lembrar que eles contribuíram para a “luta pela liberdade”, primeiro contra os soviéticos e depois contra o Talibã 20 anos atrás. Em outra carta  publicada  pelo The Washington Post, o líder da resistência anti-Taleban pede ao Ocidente que lhe  forneça armas, munições e outros suprimentos .

Nesta terça-feira, confrontos entre o Talibã e membros da Resistência Panjshir (como também é conhecida a Frente de Resistência Nacional) foram registrados na província de mesmo nome. O grupo anti-talibã conseguiu retomar o controle da cidade de Charikar (província de Parwan), localizada a 69 quilômetros de Cabul, informou a RIA Novosti.

A agência detalhou que cerca de 10.000 soldados do Exército afegão estavam indo para a área para apoiar a Frente de Resistência Nacional, também liderada pelo ex-primeiro vice-presidente afegão Amrullah Saleh , que na terça-feira se proclamou em sua conta no Twitter como presidente interino do país após a fuga do presidente Ashraf Ghani. Nas redes se espalhou uma foto em que ambos estão sentados sob o retrato do lendário pai de Masud.

Deixe sua opinião