A bandeira brasileira – símbolo nacional – estampa a frase: “Ordem e Progresso”. É este princípio básico que rege a sociedade em seus mais diversos valores, que buscamos em Duque de Caxias. As últimas edições da Parada Gay trouxeram descontentamentos à cidade. Não sou contra a liberdade de expressão nem tenho preconceito com relação ao homossexualismo, pois tenho integrantes no meu governo que são declarados ou simpatizantes. Cada pessoa tem o direito de se relacionar com o grupo de sua preferência.
Mas a livre manifestação não pode ser “passaporte” para a anarquia e a conduta de atos que choquem a moral, descaracterizando por completo todo o movimento que, na verdade, busca o apoio da sociedade.
A 4ª Parada LGBT não foi autorizada porque seus organizadores não cumpriram as exigências: previsão de público, trajeto, nada opor da Polícia Militar, contratação de empresa para instalação de banheiros químicos, etc. Estas são medidas que valem para católicos, protestantes, evangélicos, umbandistas. Recebi também inúmeros e-mails, cartas e abaixo-assinados que condenaram cenas presenciadas em nossa cidade nas versões passadas.
A ordem pública é determinante em qualquer esfera de poder, impondo-nos direitos e deveres. A polêmica serviu para que a sociedade discutisse o assunto, em detalhes, e apontasse opiniões variadas possíveis.
Foi o que fizeram 59,4% dos internautas na enquete de “O Dia Online”, publicada no dia 13, que aprovaram a medida da prefeitura. Não fujo de minhas responsabilidades e ouço correntes de pensamento. Por isso, estou aberto ao diálogo na busca do melhor para Caxias.

O DIa Online / Padom

Deixe sua opinião