Jornalista tem crise na rua e evangélicos tentam exorcizá-la

0
181

Noticias gospel – De acordo com o depoimento da jornalista paulista Giulia Bressani de 20 anos, ela viveu um dia apavorizante quando confundiram uma crise de pânico com possessão demoníaca e então tentaram expulsar demônios dela.

giulia-bressaniSegundo Giulia, ela relatou a coluna Sou mais eu do UOL, que estava “andando na rua ao lado de um muro bem alto. O bairro era chique e bem movimentado, mas, apesar de ser 13 h, não havia ninguém na calçada. Foi aí que notei uma mulher encapuzada caminhando de cabeça baixa bem perto de mim. Parecia que ela até apressava o passo para se manter no mesmo ritmo que eu. Por já ter sido assaltada quatro vezes, comecei a ficar com medo. Resolvi atravessar a rua, pois na outra calçada tinham várias lojas e pessoas passando. Assim que atravessei, a mulher veio atrás de mim. Gelei. Entrei correndo no primeiro estabelecimento que vi. Mal sabia o que me esperava.

A estranha acabou passando por mim e foi embora, mas o nervoso foi tão grande que desabei a chorar no meio da loja. A sensação de perigo me fez muito mal. Pedi um copo d’água para a vendedora. Ela falou para eu sentar e gritou pelo nome de uma outra funcionária para vir me ajudar. Então, uma senhora veio, se sentou ao meu lado e perguntou o que havia acontecido. Expliquei que eu tinha tido mais uma das minhas crises de ansiedade, que me acometiam quando eu me sentia observada ou perseguida. Ela perguntou se eu era religiosa e falei que era próxima do espiritismo.

Na mesma hora, a feição da senhora se alterou. Ela se levantou e pediu para a outra vendedora se aproximar. As duas colocaram as mãos sobre minha cabeça e meu peito e começaram a gritar, dizendo que eu precisava encontrar Jesus, pois meu problema eram os espíritos malignos que tinham se apossado do meu corpo. Disseram que as crises de choro eram, na verdade, uma maneira de Jesus me alertar que eu precisava recorrer a ele.

Eu não conseguia acreditar naquilo! Aquelas mulheres estavam tentando me converter e me exorcizar por causa da minha crise de ansiedade. Acabei ficando mais apavorada do que antes. Depois que elas pararam de orar, me levantei e disse que ia embora. Me perguntaram se eu estava melhor e menti dizendo que sim. Só queria me livrar daquele ritual horrível o mais rápido possível.

O que a maioria das pessoas não entende é que esse é um problema comum nos dias corridos e atribulados de hoje. O que não adianta é tentar expulsar demônios que não existem afirma GIULIA BRESSANI, 20 anos, jornalista, São Paulo, SP.

O que acham do episodio, deixe seus comentários.

 

André Santos

Portal Padom

Deixe sua opinião