Rana Tanveer, jornalista do diário Express Tribune do Paquistão, denunciou que tem sido ameaçado por grupos muçulmanos que o questionaram por escrever relatórios “em favor dos cristãos e dos ahmadis (um grupo religioso)”.

jornalista-paquistanês-Rana-Tanveer-cristãosAdvertiram-me para que deixasse de escrever“, contra “o Islã e que busque” o perdão “de Alá“, disse Tanveer em uma entrevista telefônica ao Index, uma organização que defende e promove os diretos de liberdade de expressão.

O repórter disse que, em outubro, recebeu uma carta escrita em urdu, a qual o classificava como um apóstata (pessoa que nega a fé em que foi educado), além de adverti-lo que caso não parasse de escrever sobre outras religiões eles os matariam, já que esse é o castigo dado a pessoas declarada apóstata.

“Não posso trabalhar assim, nenhum jornalista pode”, disse ele. O jornalista disse que ao após receber a carta continuava calma, no entanto, ele começou a preocupar-se com sua vida logo após que percebeu que estava sendo seguido enquanto caminhava pela rua.

Tanveer afirmou que seu editor lhe disse para que mantenha discrição “e não informe sobre questões de minorias por um tempo” e se tiver que fazer “seria complicado“. Por isso ele tem seguido a recomendação de seu chefe.

O editor da redação a Tribune, Ahmadiyya Jammat, explicou que para imprensa e jornalistas é perigoso abortar questões de minorias religiosas no Paquistão, país em que segundo o Comitê de Proteção ao Jornalista, foram assassinados cinco correspondentes neste ano.

Portal Padom

Deixe sua opinião