A jornalista Letícia Gaitán do Noticiário 100% Noticias contou como Deus resgatou ela e sua equipe de um assalto que ela sofreu enquanto fazia uma reportagem na rua.

A jornalista narrou como ela orava a Deus enquanto insultos e ameaças eram cometidos, grupos paramilitares do governo os despojavam de seus bens e do equipamento de trabalho.

“Eu confio em Deus, nunca duvido dEle; Eu assumi o controle, fechei os olhos e disse: Senhor, salve-nos a nossa vida “, disse ela, minutos após o incidente.

“E primeiro de tudo eu continuarei confiando em Deus, e continuarei fazendo meu trabalho porque sei que a proteção que tenho vem de cima … Eles podem nos ameaçar com armas e canhões, mas eles sabem que não podem contra Deus” disse a Gaitán

Ela reconhece que eles poderiam ser mortos naquele momento, mas isso não aconteceu porque “Deus está no controle de tudo” e Ele cumpriu sua promessa de cuidar de toda a equipe.

Afinal quem é a jornalista Letícia Gaitán

Leticia tem constantemente denunciado as atrocidades promovidas pelo governo mão de ferro, Daniel Ortega. Ao ser qual é a sua maior motivação no dia a dia, ela responde:

“A força que me motiva é Deus, desde os 11 anos que conheço o Senhor e servi na Igreja. Eu sou filha de Deus e dos filhos de Deus, o inimigo não pode tocá-los. Eles não vão me calar porque Deus me deu uma missão, que é informar com a verdade.“, disse.

Em entrevista ao site Maje, Leticia Gaitan, contou que devido a sua postura em denunciar e mostrar a verdade, ela é constantemente ameaçada nas redes sociais, “mas minha estratégia é ignorar esses comentários. A paz que Deus me deu, eles não podem tirar de mim. Melhor eu não responder nada, porque assim estaria seguindo o jogo deles.”, respondeu.

Ao ser questionada como é Letícia fora de seu ambiente de trabalho, ela conta que “Bem, Leticia fora da câmera vai à igreja, eu gosto de servir ao Senhor; Eu estou em um ministério de dança. Quando não estou trabalhando, ensaio alguma rotina ou música para a Igreja. Eu também gosto de assistir filmes, documentários e séries.”, revelando ainda que seu versículo preferido é  Jeremias 33:3 “Clama-me e eu te responderei, e te ensinarei coisas grande e ocultas que não conheces”.

Entenda o porque a jornalista foi atacada por atirados encapuzados do governo

As jornalistas Leticia Gaitán, de 100% News, e Daliana Ocaña, do Canal 12, foram abatidas e agredidas junto a seus colegas de trabalho por um grupo de parapolicias encapuzados ligados ao governo de Daniel Ortega, na manhã desta terça-feira perto da rotatória de Ticuantepe, Managua.

Os jornalistas, cinegrafistas e motoristas foram interceptados por nove policiais armados com AK-47, quando tentaram filmar o desmantelamento de uma barragem de manifestantes antigovernamentais no km 14 da rodovia Masaya.

Eles roubaram câmeras no valor de US $ 10.000 cada, celulares, dinheiro e documentos pessoais.

“Essa é o que desrespeitou o patrão”, disse um dos armados, apontando para Letícia Gaitán. “Vamos ver se agora você é tão ‘huevoncita’ quando está entrevistando.”

O “chefe” que aparentemente se refere ao mascarado é o chanceler Denis Moncada, a quem o jornalista Gaitán fez-lhe duras perguntas no sábado passado durante o diálogo nacional, relacionado ao massacre de uma família, queimada viva por mascarados relacionados ao governo que incendiaram uma casa em Manágua.

Os jornalistas denunciaram o ataque ao Centro Nicaraguense dos Direitos Humanos (Cenidh), que solicitará à Comissão Interamericana dos Direitos Humanos (CIDH) medidas cautelares apra o pessoal da 100% Noticias, devido as constantes ameaças recebidas.

“Na Nicarágua, fazer jornalismo não pode significar risco de morte ou que você será tratado como um criminoso. Aqueles que nos interceptavam eram pessoas encapuzadas que seguiam a voz de um líder, estavam bem armados, com coletes à prova de balas e a organização era perceptível; isso não deve continuar “, disse Daliana Ocaña, do Canal 12.

A Comissão Permanente dos Direitos Humanos (CPDH) condenou os ataques contra as jornalistas e cinegrafistas pelas forças para-policiais.

“Isso reflete graves violações dos direitos humanos, liberdade de expressão e informação. Evidência mais uma vez, o alto nível de repressão a que o povo da Nicarágua está submetido “, disse o CPDH em um comunicado.

Portal Padom

Com informações de CBN  elnuevodiario

Deixe sua opinião