Jornal terá que indenizar a IURD, por falsa noticia do ‘G17’

Clique na imagem para ver ampliado

O jornal Diário de Sorocaba, no dia 25 de junho de 2011, publicou uma matéria com o título “Quem não paga dízimo à Universal pode ficar com nome sujo no SPC”, onde dizia que os pastores poderiam denunciar os dizimistas que estivessem em atraso, ao Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), deixando assim o nome dessas pessoas ‘sujo’ restrito. Essa matéria causou grandes prejuízos ao jornal.

O juiz Mario Gaiara Neta, da 3ª Vara Cível de Sorocaba, São Paulo, condenou o jornal a pagar uma multa por danos morais a igreja Universal no valor de R$ 20 mil reais, pois ele interpretou que o jornal falou com a verdade em sua matéria. “Quanto ao seu conteúdo, o requerido não demonstrou possuir o mínimo de veracidade. Notícias como essa, publicadas sem o mínimo de comprometimento com a realidade, escapam do conceito de liberdade de expressão e dão ensejo, em tese, ao dever de indenizar”.

Em sua defesa, o Diário de Sorocaba se defende dizendo que as informações que eles publicaram vêm sendo discutidas na internet e em outros meios de comunicação, por isso eles não seriam responsáveis pelas informações. Mesmo assim o juiz não aceitou esses argumentos como defesa.

NOTICIA COPIADA DE SITE DE HUMOR (Noticias Falsas G17)

Tudo indica que o Diário de Sorocaba, ao publicar a matéria sobre a Igreja Universal, encontraram essas informações no site G17,

Clique na imagem para ver ampliado

que é um site com layout parecido com o G1 da Rede Globo, mas que apresenta noticias fictícias de humor.

A noticia em questão, esta intitulada no G17 como “Igreja Universal colocará fieis devedores no SPC e SERASA” e foi publicada no dia 13/06/11, ou seja, foi postada 12 dias antes de o Diário de Sorocaba publicar ou replicar.

Até mesmo o bispo Edir Macedo, na época caiu na ‘falsa noticia’, pois ele em seu blog desmentiu a noticia dizendo que a matéria era mentirosa, e seria impossível inserir o nome dos fiéis no SPC.

 “Os dízimos e as ofertas são bíblicos e a Igreja Universal não impõe ou obriga as pessoas a fazerem suas doações,” escreve Macedo em nome da direção da IURD.

Ainda o bispo explicou que os membros da igreja não são obrigados a entregar o dizimo e ofertas e que “Tudo é feito por mera liberalidade do fiel, por sua livre e espontânea vontade, de modo que a Igreja sequer tem controle de se realmente o fiel fez alguma oferta ou não, uma vez que os envelopes, onde são entregues os dízimos e as ofertas, não têm identificação de quem está doando, tampouco do valor que se supõe que tenha sido depositado em seu interior pelo fiel.”

Clique aqui e amplie a noticia do G17

O bispo ainda disse que o departamento jurídico da igreja entraria em contato com os donos das mídias que divulgaram as falsas acusações.

Vai um alerta a todos, quando você ler alguma noticia na internet, procure conhecer realmente a fonte desta noticia.  Pois hoje em dia existem diversos sites que publicam ‘noticias falsas’.

G17 – como eles mesmos dizem “sem compromisso com a verdade”

Portal Padom

Deixe sua opinião