Os cristãos da Indonésia pedem mais segurança e proteção ao presidente do país, Susilo Bambang Yodhoyono, depois dos contínuos episódios de intolerância religiosa.

No último domingo, no povoado de Rancaekek Wetan, na ilha de Java, o protesto de 200 fundamentalistas islâmicos obrigou mais de 100 cristãos da Igreja Protestante Cristã Batak (Batak Christian Protestant Church) a abandonarem duas casas utilizadas como lugares de oração.

“Continuaremos a nos reunir e queremos que o presidente nos garanta a possibilidade de praticar a nossa fé sem as ameaças dos grupos radicais” – ressaltou o reverendo Hutagalung, responsável por essa Igreja protestante.

Na Indonésia a intolerância contra os cristãos é um fenômeno que está em aumento. Não obstante a Constituição defenda a igualdade de tratamento a seis religiões de Estado, inclusive o protestantismo, a lei impede a construção de lugares de culto para os fiéis que não professam a fé no Islamismo e obriga os cristãos a se reunirem em suas habitações.

O caso ocorrido em Rancaekek Wetan é o último de uma série de confrontos entre protestantes e muçulmanos verificados nos últimos meses em Bandung, em Java, e em Bekasi, perto da capital Jacarta onde pelo menos seis igrejas foram atacadas, em 2009, e alguns pastores protestantes agredidos. (MJ)

O Ecumene / Portal Padom

Deixe sua opinião