twitterPara conquistar um público maior, divulgar ações religiosas e entreter os seguidores, igrejas ao redor do mundo passaram a apostar no Twitter. O microblog tem sido utilizado pelos pregadores como canal de comunicação para atingir o público e abrigar a divulgação de missas e serviços. As informações são do site do jornal Telegraph.

A adesão da igreja às redes sociais – além da utilização do serviço de SMS no celular, já usados pelas igrejas – foi a forma encontrada pelas congregações para driblar a perda de seguidores e o método mais eficaz para reverter a diminuição de integrantes.

Pastores da Igreja da Comunidade de Westwinds, em Michigan, nos Estados Unidos, passaram duas semanas ensinando pessoas da congregação a usar o Twitter e mostrando como funciona o envio de mensagens de até 140 caracteres. Além de servir como meio para cativar novos fiéis, o Twitter tem sido difundido dentro das comunidades religiosas também para que os integrantes criem perfis e os atualizem com suas mensagens. Até agora, 150 dos 900 integrantes já aderiram ao microblog em Westwinds.

A igreja também incentiva os fiéis a fazerem perguntas sobre assuntos relatados no sermão do dia para que o pregador responda aos questionamentos através do Twitter, onde, mais tarde, todos poderão ler a resposta e “twittar” suas opiniões sobre o tema.

Nos cultos dominicais, mensagens de fé são “twittadas” pelo menos seis vezes durante os encontros religiosos e podem ser lidas em três grandes telas instaladas no local. Outra igreja, em Charlotte, na Carolina do Norte, vai um pouco além e promove a “Twitterfests”, com um encontro de twitteiros religiosos da comunidade, em que é aconselhado aos paroquianos: “Se Deus conduz você a levar a palavra adiante como uma forma de adoração, então faça isso utilizando todos os meios.”

Leia também!  Dez por cento dos adultos homossexuais no Brasil têm HIV

Em Nova York, na Igreja Trinity, o uso do Twitter na última Páscoa foi feito para relatar a passagem bíblica da morte e ressurreição de Jesus Cristo pelo microblog. Durante as três horas da exibição da peça que retratava a história da Páscoa, os fiéis puderam receber informações sobre os principais personagens da peça pela rede social.

Na Igreja Mars Hill, em Seattle, a congregação é estimulada a mandar mensagens durante os sermões para o perfil oficial da igreja no Twitter. De acordo com Kyle Firstenberg, o administrador da igreja, a participação dos fiéis e a postagem de comentários “é uma boa maneira dizer aos seus amigos sobre o que ocorre na igreja e deixá-los a par disso mesmo que eles não freqüentem o local”, disse ele.

Na última semana, ainda, o cardeal Seán Brady, líder dos católicos romanos da Irlanda, pediu a utilizadores da rede social para começarem a enviar orações todos os dias por mensagem de texto, Twitter ou e-mail, ampliando ainda mais a utilidade do Twitter.

Redação Terra / www.padom.com

Deixe sua opinião