Um homem de Wisconsin que deixou o ministério da Presbiteriana na Califórnia a mais de 20 anos atrás, após dizer à sua congregação que ele era gay, foi recebido novamente na liderança eclesiástica neste sábado como ministro primeiro ministro ordenado abertamente gay.

Com uma voz trêmula de emoção, Scott Anderson ,56anos de idade, disse à centenas de amigos e apoiadores que lotavam Covenant Presbyterian Church em Madison para a sua cerimônia de ordenação, que ele jamais pensou que esse dia chegaria.

“Para os milhares de presbiterianos que trabalharam e oraram por quase 40 anos por este dia, dou graças”, disse Anderson. “E também dou graças por aqueles que discordam com o que estamos fazendo hoje, e ainda que saibam que nós somos um em Jesus Cristo.”

Quando foi apresentado à multidão, o público deu-lhe uma estrondosa ovação de pé e começou a aplaudi-lo.

“Isso foi muito atípica para os presbiterianos,” Doug Polônia, um Covenant Presbyterian Church, disse ao Jornal Estado de Wisconsin. “Normalmente, nossas mãos ficam em nossos colos”.

Anderson estava armário quando ele servia como ministro em Sacramento, Califórnia, de 1983 até 1990. Quando um casal ameaçou revelar sua orientação sexual, ele saiu de sua congregação e pediu demissão porque a Igreja Presbiteriana (EUA) havia impedido que homossexuais servissem como ministros.

Mas as coisas mudaram no ano passado, quando uma assembléia nacional da igreja, votaram na remoção dessa proibição, abrindo caminho para a ordenação de Anderson.

Leia também!  Laura Bush, esposa do ex-presidente do EUA é a favor do casamento gay e do aborto

Nancy Enderle, diretora executiva interino da Rede Aliança Presbiteriana, disse à Associated Press, que a ordenação foi uma celebração gloriosa que tocou a todos, especialmente Anderson.

“Ele é uma pessoa muito digna e equilibrada, mas você perceber que ele ficou profundamente comovido”, disse  ela.

Anderson atualmente atua como diretor-executivo do Conselho de Igrejas Wisconsin em Sun Prairie, que fica perto de Madison, onde vive. Com sua ordenação significa que ele vai ser ordenado para o trabalho específico que ele já tem. A única mudança é que agora ele vai ser capaz de administrar os sacramentos como a comunhão. Ele também poderá se tornar um ministro de paróquia, um papel que ele disse que pode considerar em três ou quatro anos.

Anderson escolheu o Rev. Mark Achtemeier de Dubuque, para fazer o sermão de sábado. Achtemeier costumava ser um dos maiores opositores da ordenação gay, mas ele anunciou uma reviravolta completa após amizades com cristãos gays que o levaram a re-avaliar os ensinamentos bíblicos sobre a homossexualidade.

Ele disse aos participantes sábado que espera que o ministério de Anderson venha trazer a “cura e boas novas” a todos aqueles que se sentiram “isolados e alienados” na igreja, informou o jornal do Estado.

O apoiador Bob Lorenz disse a WISC-TV, que a ordenação estava muito atrasada para alguém com o talento de Anderson.

“Ordená-lo é apenas o reconhecimento dos dons que Deus já lhe deu”, disse ele.

MEDITE:

Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.
E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis.
Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si;
Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.
Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.
E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro.
E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;
Estando cheios de toda a iniqüidade, prostituição, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade;
Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães;
Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia;
Os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem.

Romanos 1:22-32

 

Leia também!  Irã garante que a defesa israelense não é impenetrável para seus mísseis

Fonte: Portal Padom

Deixe sua opinião