“Testemunhos, louvor e adoração na Capela do Presidio no Butantã” 

O pastor Edemilson Chaves e a missionária Antonísia, coordenadores da Associação Mundial de Assistência Social lideraram uma visita de evangelização a Penitenciária Feminina “Dra. Maria Cardoso de Oliveira”, no bairro do Butantã região da Zona Sul de São Paulo. No local há cerca de 700 reeduncandas , muitas já em regime semi-aberto. 

A Unidade tem 85% em atividades produtivas, sendo que 70% trabalham em oficinas que produzem peças automotivas, materiais elétricos, além de livros. Outras 15% executam trabalhos externos, durante o dia, com autorização judicial e retornam para a unidade no final da tarde. As demais se encontram em trânsito ou aguardam o término do Regime de Observação (RO), para também serem encaminhadas ao trabalho.

O Pastor Edemilson Chaves deu uma breve saudação e a palavra foi ministrada pela missionária Antonísia, para cerca de 150 reeducandas que puderam participar da reunião. Um coral composto por mais de 40 vozes louvaram a Deus. Outro grupo formado por africanas cantaram na língua nativa da África e também puderam exaltar a Deus de uma forma emocionada que contagiou a todos os presentes na capela Ecumênica da penitenciaria.

Algumas puderam contar seus testemunhos e mudanças e mesmo cumprindo pena muitas puderam contar as boas novas na vida delas e de seus familiares. Foi o caso de Silvana que tinha o filho desempregado há quase quatro anos e que havia deixado o envolvimento com más companhias e depois de uma campanha de oração feita pela mãe Silvana conseguiu um emprego numa grande rede de Hipermercados.

Outro testemunho foi de Vivian, vinda da África do Sul acabou sendo presa aqui no Brasil e também cumpre pena no Presídio do Butantã. Abandonada pela família que a rejeitava devido as suas atitudes e vícios, sonhava em falar com a irmã e principalmente com a mãe. Conhecendo a IMPD pela televisão enfrentava resistência das companheiras de cela que não suportavam a V ligada na Mundial. Mesmo assim Vivian insistiu, e acabou abandonando os vícios das drogas e do cigarro e ainda conseguiu converter algumas companheiras do presídio. Conhecendo cada vez mais a palavra através da ministração do Apóstolo Valdemiro Santiago iniciou uma campanha em prol da família e após uma tentativa de contato conseguiu falar com sua irmã e ainda com a sua mãe. Através das conversas seguintes conseguiu o perdão da família e para a sua surpresa ouviu da boca de sua mãe coisas que ela jamais tinha ouvido. “Eu nunca tinha ouvido minha mãe dizer que amava, e eu acabei ouvindo isso dela, parecia um sonho, ela me disse: eu te amo minha filha, e mais, hoje ela pede oração toda vez que nos falamos, isso é um verdadeiro milagre de Deus na minha vida”, afirmou a Sul Africana.

“Se o AMAS ficasse por mais tempo no Presidio com certeza teria dezenas de testemunhos, mas como existe um tempo limite de visitação pudemos ouvir algumas reeducandas. Aproveito a oportunidade para agradecer a toda a equipe do AMAS, e principalmente a direção da casa, as educadoras e todos os funcionários que sempre nos recebem com muita atenção fazendo com que o trabalho do AMAS seja feito com muito amor e carinho”, finalizou a missionária Antonísia, esposa do pastor Edemilson Chaves.

IMPD / Portal Padom

Deixe sua opinião