A congregação da Igreja Católica de St Austin em Stafford foi instruída a se isolar após um caso de cobiça (Imagem: Google Maps)
A congregação da Igreja Católica de St Austin em Stafford foi instruída a se isolar após um caso de cobiça (Imagem: Google Maps)

Uma congregação católica inteira em Stafford, Inglaterra, teve que se isolar depois que um único paroquiano testou positivo para o coronavírus. A mudança ocorre no momento em que novos casos de uma nova cepa do vírus estão surgindo no Reino Unido.

A congregação, a Igreja Católica de St. Austin, foi informada do teste positivo após a missa de domingo.

“Seguindo o conselho dado pelo NHS por telefone e as orientações fornecidas no site, acreditamos ter contatado todos os que compareceram a esta missa, informando-os da situação e da necessidade de isolamento por dez dias”, escreveu a igreja em sua página no Facebook.

O pároco disse que os líderes da igreja têm entrado em contato com as agências do Serviço Nacional de Saúde para alcançar todos os que estavam lá, instruindo-os a se isolarem.

St. Austin cancelou os serviços pelo resto da semana como resultado da infecção.

Os últimos números oficiais mostram que Staffordshire, que é o condado de aproximadamente 875.000 habitantes nas Midlands da Inglaterra que abriga Stafford, teve aproximadamente 3.500 novos casos de COVID-19 nos últimos sete dias.

O Reino Unido tem estado sob severas restrições nos últimos meses e, nesta semana, essas restrições aumentaram à medida que uma nova cepa mais infecciosa do vírus começou a assolar o país. A última versão das diretrizes permite que as casas de culto permaneçam abertas para orações individuais e adoração comunitária. Mas as regras também dizem que as pessoas não devem se reunir fora de casa ou apoiar a bolha e não se misturar com pessoas de fora desses grupos.

A nova variante do vírus levou a um novo bloqueio que deve permanecer em vigor pelo menos até meados de fevereiro, de acordo com a BBC. O primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse em um discurso televisionado na segunda-feira que os hospitais do país estão sofrendo de COVID mais do que em qualquer momento desde o início da pandemia.

A Associated Press informou na segunda-feira que 26.626 pacientes com COVID estavam atualmente em hospitais, um aumento de 30% em relação à semana anterior. O número é 40% maior do que o nível mais alto quando a primeira onda do vírus atingiu na primavera.

“As próximas semanas serão as mais difíceis, mas realmente acredito que estamos entrando na última fase da luta”, disse Johnson.

O início de medidas ainda mais rígidas ocorreu quando as autoridades de saúde começaram a distribuir as vacinas Oxford-AstraZeneca em todo o país, na esperança de que a vida possa começar a voltar ao normal em alguns meses. Aproximadamente 700 locais de vacinação já estão operando no momento, com mais locais previstos para serem abertos no final desta semana.

Deixe sua opinião