Os bispos da Igreja da Inglaterra lançaram uma iniciativa para incentivar os indivíduos transgêneros a se candidatarem a cargos de liderança em suas igrejas locais.

Uma orientação emitida pelos bispos da diocese de Lichfield alertou que a Igreja está sendo vista como pouco receptiva aos indivíduos LGBT, o que desencoraja os jovens a participar dos cultos.

O documento, intitulado “acolhendo e homenageando as pessoas LGBT +”, lembrou aos paroquianos que os homossexuais “podem ser chamados para papéis de liderança e serviço na igreja local”.

“Nós esperamos muito que eles, como todos os outros, se sintam encorajados a servir em PCCs, ou como líderes de igrejas e adoradores, por exemplo, e sejam apoiados em explorar vocações para ministérios e serem ordenados”, declarou a orientação, conforme relatado por The Telegraph.

“Ninguém deve ser informado de que sua identidade sexual ou de gênero, por si só, os torna candidatos inadequados à liderança na Igreja”, continuou.

Os homossexuais são autorizados a servir como padres e bispos na Igreja da Inglaterra, mas eles não podem entrar em casamentos entre pessoas do mesmo sexo.

No entanto, eles são autorizados a entrar em parcerias civis e entrar em relações do mesmo sexo, desde que eles permaneçam celibatários.

The Christian Post informou que o documento foi assinado pelos bispos de Lichfield, Shrewsbury, Stafford e Wolverhampton.

Os bispos enfatizaram que não estão tomando partido na questão da bênção de casamentos entre pessoas do mesmo sexo na Igreja, que oficialmente define o casamento como uma união entre um homem e uma mulher.

Eles reconheceram que os debates sobre a questão “parecem continuar e talvez crescer em intensidade nos próximos anos”.

O grupo afirmou que o objetivo do documento era abordar questões que estão sendo enfrentadas por todos os cristãos que procuram “viver ao lado de outros na Igreja, que é o Corpo de Cristo”.

Eles ainda sustentaram que ninguém deveria ser excluído ou desencorajado de ser batizado ou de receber a Comunhão por causa de sua orientação sexual ou identidade de gênero.

Leia também!  Jovens dançam ‘agarradinho’ durante culto, gera polêmica - Assista

Os bispos também advertiram contra o “questionamento intrusivo” sobre a sexualidade de outras pessoas, observando que é “quase sempre inadequado”.

Os líderes da igreja também argumentaram que é “inaceitável” dizer que a orientação sexual ou identidade de gênero pode ser mudada pela fé ou que a homossexualidade significa falta de fé.

A divulgação do documento veio depois que o sínodo geral da Igreja votou a favor de uma proposta no ano passado para instar o governo britânico a proibir a terapia de conversão.

O Sínodo também aprovou uma nova liturgia para os indivíduos transgêneros, mas os bispos afirmam que não é necessário que os sacerdotes possam usar a liturgia existente para afirmar a fé batismal.

Portal Padom

Deixe sua opinião