A Defensoria Pública de Ribeirão Preto (313 km de São Paulo) ingressa na tarde desta sexta-feira (19) com uma ação civil pública na Justiça para obrigar a igreja evangélica Casa de Oração a retirar um outdoor que veicula mensagem interpretada como ofensiva aos homossexuais. O outdoor está localizado na região central da cidade.
O texto, extraído da bíblia, afirma que “se também um homem se deita com outro homem, como se fosse mulher, ambos praticam coisa abominável”. A decisão judicial, sob a forma de uma liminar, deve ser conhecida ainda hoje, segundo o defensor público Victor Hugo Albernaz Júnior, 46.
“Nós decidimos ingressar com essa ação depois que a igreja Casa da Oração não aceitou fazer a retirada pacífica do outdoor. Ela alega que exerce seu direito de expressar, mas a liberdade de expressão não pode utilizar mensagens vexatórias nem ofender os outros”, afirmou o defensor público.
Para Fábio de Jesus Silva, 22, da ONG Arco-Íris, a veiculação da mensagem tem o objetivo de “afrontar” a parada gay que o movimento GLBTT (Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais) de Ribeirão Preto organizou para o próximo domingo.
De acordo com Silva, o movimento estuda processar a igreja por discriminação contra os homossexuais. Para o membro da ONG Arco-Íris, a mensagem é “agressiva”. Silva afirma que tentou, sem sucesso, negociar com o pastor Antônio Hernandes Lopes, da Casa de Oração, a retirada do outdoor. “Ele não aceitou um acordo e falou que a mensagem vai ficar lá até o final deste mês.”

Uol / Portal Padom

Deixe sua opinião