Um grupo de homens vestidos de judeus hassídicos distribuiu propaganda anti-semita do lado de fora do shopping Boulder, no Pearl Street Mall, no Colorado, na noite de sábado.

De acordo com publicações nas mídias sociais, os folhetos promoveram a negação do holocausto e alegaram: “é estaticamente impossível que seis milhões de judeus tenham morrido na Segunda Guerra Mundial”.

Uma testemunha disse no Twitter que ouviu alguém em uma van gritando “nós judeus fizemos 11 de setembro e lamentamos“, mas ela não viu quem era.

O grupo de homens também distribuiu cartões que diziam que “os judeus administram a indústria da pornografia”, “os judeus administram o comércio de escravos do Atlântico” e “a academia é dominada por judeus marxistas”.

O Denver Post relata que os moradores de Boulder removeram a propaganda que os homens postaram perto do shopping.  O Post também relata que a polícia de Boulder não recebeu nenhuma queixa sobre os folhetos.

Este não foi o único incidente anti-semita que aconteceu no Colorado neste fim de semana.

Agentes federais anunciaram na segunda-feira que também prenderam um homem que planejava explodir uma sinagoga em Pueblo, Colorado.

O FBI disse que o homem expressou seu ódio aos judeus.

Oren Segal, diretor do Centro de Extremismo da Liga Anti-Difamação (ADL), disse que “os supremacistas brancos continuam a representar uma séria ameaça aos judeus e a todos os americanos”.

A ADL relata que, desde outubro de 2018, os supremacistas brancos “atacaram as propriedades das instituições judaicas em pelo menos 50 ocasiões”.

Deixe sua opinião

WhatsApp
Entre e receba as notícias e artigos do dia