assaltoO soldado do Corpo de Bombeiros Militar, Celso Ibiriba Rosa do Nascimento Júnior, de 26 anos, lotado no Grupamento Regional de Redenção, foi baleado no pescoço durante uma operação e pode ficar tetraplégico. A informação foi repassada na manhã de ontem pelo comandante do Corpo de Bombeiros em Redenção, capitão Augusto Pamplona, durante um culto evangélico realizado nas dependências do quartel. “Se ele (Ibiriba), sobreviver ficará tetraplégico”, disse Pamplona.O soldado, que atende pelo nome de guerra de Ibiriba, foi baleado à queima-roupa na noite da última segunda-feira (6), dentro de uma residência localizada no setor Marechal Rondon. Ibiriba e outros bombeiros, foram até o setor Marechal Rondon para verificar a situação de um homem que apresentava sinais de loucura e estaria ameaçando agredir as pessoas que cuidavam dele. Adeilson Rocha da Silva, estava dentro de um quarto escuro e com uma arma de fabricação caseira nas mãos.

Como o soldado Ibiriba não sabia que o descontrolado estava armado, entrou no cômodo para tentar convencê-lo a ir com a equipe de resgate até um hospital para ser examinado. Ao entrar no quarto, o bombeiro militar foi recebido à bala. O tiro acertou o pescoço da vítima e atingiu a coluna cervical. Após ser baleado, ele foi levado às pressas para o Hospital Regional do Araguaia, onde permanece internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Antes de entrar na casa, os bombeiros perguntaram se Adeilson estava armado, mas os familiares do atirador disseram que não. O acusado fugiu logo em seguida e até o momento ninguém sabe o paradeiro dele. Policiais civis e militares continuam a caçada.

FORAGIDO

Enquanto isso, o clima é de revolta entre bombeiros e policiais militares. “Vocês podem ter certeza de que nós vamos pegá-lo”, afirmou o major Alves, subcomandante do 7º Batalhão da Polícia Militar, que também participou do culto evangélico que foi realizado pelas igrejas Adventista do Sétimo Dia e Batista a pedido do comando do Corpo de Bombeiros, a fim de interceder pelo bombeiro baleado.

Os pais do soldado Ibiriba, que pediram para não serem identificados, estão em Redenção acompanhando o quadro clínico do filho. Eles são de Belém e disseram que o bombeiro é casado e pai de dois filhos pequenos. A esposa da vítima, que preferiu ficar na capital paraense, está em estado de choque.

De acordo com a delegada Selma Loyana, responsável pelo caso, já foram ouvidos vários parente do acusado, que confirmaram a deficiência mental do mesmo. Segundo a delegada, o inquérito que tem prazo de 30 dias para ser concluído, provavelmente será prorrogado, pois ela ainda pretende ouvir a vítima.

ESTUPRO E LIBERDADE

Ainda segundo Loyana, Adeilson Rocha ficou preso durante sete anos acusado de estupro e, atualmente, estava em liberdade condicional. Ele cumpriu pena no Centro de Recuperação Regional de Redenção e foi colocado em liberdade no dia 26 de junho, a mando do juiz da 2ª Vara Criminal de Redenção, Manoel Antônio Silva Macedo. Ainda segundo informações, antes de ser preso, Adeilson já apresentava sinais de insanidade.

(Diário do Pará)/padom.com.br

Deixe sua opinião