Chinês que tinha braços e pernas cobertos por erupções que lembravam cracas marinhas passa por cirurgia e tem recuperação completa
Lin Tianzhuan tem 38 anos e passou 25 deles vivendo um pesadelo. Ele mora em Shuimen, no sul da China. Aos 13, notou que suas mãos e pés apresentavam um crescimento diferente do normal. Apareceram alguns calombos mais duros, lembrando calos. Com a aplicação de antibióticos e pomadas, pioraram ainda mais. Ele conta o drama: – Eles cresceram muito e logo tomaram as minhas pernas e braços, costas e até mesmo na minha cabeça. Era como se eu estivesse me transformando em pedra. Foi aterrador.
Lin se tornou um eremita. Ficou isolado na casa de seus pais. Era temido por amigos e vizinhos, que o apelidaram de “Homem Coral”.
– Gradualmente, aquelas conchas foram ficando rígidas e eu não podia mais dobrar meus braços e pernas. Quando precisava sair na rua, me embrulhava em cobertores porque as pessoas iam gritar de medo se me vissem.
Lin ficou um ano em tratamento em uma clínica especializada em dermatologia. Passou por uma série de cirurgias e, agora, carrega apenas manchas na pele como lembrança.
Liu Yinghong , vice-presidente do hospital de Fuzhou, onde o Homem Coral foi tratado, disse que ficou chocado com a gravidade e a intensidade da moléstia. O hospital, especializado em prevenção de dermatoses, está organizando um estudo a respeito do caso.
– Pode ser que ele precise fazer radioterapia por algum tempo ainda, mas seu progresso é muito bom, diz o doutor Yinghong.

R7 / Padom

Deixe sua opinião