Helicópteros impedem batismo de goleiro Bruno

0
99

O advogado Francisco Simin, que defende a ex-mulher do goleiro Bruno, Dayanne Rodrigues do Carmo Souza, e o próprio atleta, disse que o grande número de helicópteros de emissoras de televisão sobrevoando a Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, teria provocado o cancelamento da cerimônia religiosa em que o goleiro seria batizado por um pastor evangélico.

“Eu passei a informação do culto para as emissoras, queria mostrar que o Bruno está no caminho certo, e acabei atrapalhando. Ele iria ser o primeiro a ser batizado. A direção da penitenciária, por medida de segurança, cancelou o batismo”, afirmou.

A Secretaria de Estado de Defesa Social (SEDS-MG) negou que tenha havido o cancelamento do culto. A assessoria de comunicação do órgão disse que “Bruno já não participaria da cerimônia na tarde desta quinta-feira por uma posição pessoal”. “Não tem nada a ver com a direção da unidade”, disse uma das assessoras.

“Ele não estava incluído entre os presos que participariam ontem. Ou porque não houve a preparação (religiosa prévia) correta e o pastor quis assim, ou porque ele não quis. A gente não sabe porque, mas ele que não quis participar”, disse a Seds-MG.

Ainda segundo a Seds-MG, a cerimônia evangélica desta quinta-feira foi realizada pela Igreja Restaurando Vidas. O advogado de Bruno não soube dizer quando haverá o batismo.

Terra / Portal Padom

Deixe sua opinião

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui