Ao se dirigir a Jerusalém em Atos 20, Paulo faz uma parada em Éfeso. Ali, convoca uma reunião especial de todos os líderes da igreja, e diz aos crentes efésios solenemente: “Esta é a última vez que os vejo. E essa será a minha mensagem final a vocês. Vocês não verão a minha face após isso” (v. Atos 20:25).

Paulo então traz sua última mensagem aos efésios. Ele lhes diz, basicamente, “Já estive com vocês antes, e sabem o que represento. Tenho lhes servido com humildade e lágrimas. Preguei em vossa igreja, e de casa em casa. Fiz tudo isso sob grandes sofrimentos e perseguições. E nada vos ocultei”. Aí, em lágrimas, lhes dá esse sóbrio aviso: “Já por três anos, lhes tenho comunicado dia e noite com lágrimas sobre o quê vejo estar chegando à igreja depois que eu me for. Quero que agora vocês ouçam essa advertência mais uma vez” (v. 20:31).

O quê Paulo via chegando? O quê lhe fazia sofrer tanto que ele passaria três anos chorando por essa igreja? Que tragédia futura ele lhes havia anunciado tantas vezes, tanto publica quanto particularmente na igreja e nos lares? Que coisa poderia abalar tão profundamente esse santo homem de oração?

A preocupação de Paulo não era por uma explosão de cobiças, de adultério, divórcio, ou de bebedeira; as suas advertências não eram quanto a futuras perseguições da sociedade, ou quanto a restrições do governo sobre eles. Ele não avisa sobre um ataque de depravação, ou de homossexualismo no púlpito, ou sobre sinais de queda moral, de desemprego, pobreza, ou terrorismo e guerras.

Resumindo, os avisos de Paulo não eram quanto ao caos acontecendo fora das portas da igreja. Não, Paulo sofria por aquilo que ele via acontecendo dentro das paredes da casa de Deus. Ele adverte os efésios quanto ao que prevê estar vindo sobre o ministério, sobre os pastores em particular. E essas admoestações eram a respeito de destruição que viria por meio de enganadores, os quais inundariam as igrejas.

Em sua mensagem final, a mente de Paulo não estava no crescimento da igreja, nas lutas pessoais dos pastores, ou nas lutas e tentações dos crentes. Não, o grito profundo no coração de Paulo era “Vocês pastores, vocês pregadores, ouçam. Fiquem de guarda – por vocês e pelo seu povo”.

“O Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue” (Atos 20:28). Em outras palavras: “Vocês bispos, líderes – alimentem seus rebanhos para os preparar. Encham-nos da palavra pura de Deus. Lobos selvagens e enganadores estão chegando, e farão mira sobre a ovelha fraca”.

“Eu sei que, depois da minha partida, entre vós penetrarão lobos vorazes, que não pouparão o rebanho. E que, dentre vós mesmos, se levantarão homens falando cousas pervertidas para arrastar os discípulos atrás deles. Portanto, vigiai” (20:29-31).

Nesse ponto, Paulo aponta para eles, “Agora vocês são uma igreja abençoada. Constituem um povo fiel, um poderoso corpo de crentes. Têm uma base forte”. Cristo também iria mais tarde dizer isso sobre os efésios, no Apocalipse. Ele lhes diz, “Vocês são pacientes e frutíferos. Não toleram o mal, e expõem os falsos pregadores”.

Mesmo assim, segundo Paulo, “Por mais abençoados que sejam, a sua igreja não será poupada, a menos que guardem as minhas admoestações. Vocês verão um ministro impiedoso e perverso se levantar e comercializar este rebanho”. Cristo deu aos efésios a mesma advertência, em Apocalipse 2: “Vocês deixaram o seu primeiro amor. Arrependam-se, caso contrário removerei o seu candeeiro – o brilho de seu testemunho para o mundo”.

Como esses crentes efésios perderam seu primeiro amor? Como qualquer igreja se torna morta? Claramente – é porque seus pastores e líderes não estavam guardando as ovelhas. Não foram cuidadosos, e deixaram que lobos tivessem acesso ao rebanho. Quando esses lobos chegaram, devoraram as ovelhas, sem as poupar.

Em resumo, um evangelho pervertido infiltrou a igreja, e o erro foi ensinado. Logo crentes de coração puro foram desviados por horríveis enganos aos quais foram levados. Por anos, essa fiel igreja havia sido cuidadosa ao julgar o quê era do evangelho, e o quê era da carne. Mas agora estes mesmos crentes foram levados a um evangelho leve e fácil que apazigua a carne. E foram afastados de Cristo.

Hoje Paulo se Foi, E os Lobos e os Perversos Chegaram

Os lobos e os perversos invadiram a casa de Deus. E estão levando ao erro pastores e igrejas por todo o mundo. Por todos os lugares para onde viajo, vejo perversos pregadores separando rebanhos e dispersando as ovelhas.

Jesus também avisou da chegada deles: “Acautelai-vos dos falsos profetas, que se vos apresentam disfarçados em ovelhas, mas por dentro são lobos roubadores” (Mateus 7:15).

Segundo Cristo, pastores e mestres vorazes virão vestidos como ovelhas de Deus. Aparecerão como anjos de luz, mas vieram para enganar se possível os eleitos. Noventa por cento do quê dizem soa como evangelho real, mas estão usando a palavra de Deus como disfarce para levar ao erro.

O profeta Ezequiel fala destes lobos: “Conspiração dos seus profetas há no meio dela; como um leão que ruge, que arrebata a presa, assim eles devoram as almas; tesouros e coisas preciosas tomam…são como lobos que arrebatam a presa para derramarem o sangue, para destruírem as almas e ganharem lucro desonesto…fazem violência ao aflito e ao necessitado” (Ezequiel 22:25,27,29).

Mostre-me um pastor que nunca expõe o pecado – que não mostra às pessoas a diferença entre o sacro e o profano, que não menciona o arrependimento ou o juízo, antes pelo contrário diz que Deus quer lhe tornar rico e próspero – e eu o chamarei por aquilo que ele é. Ele é um lobo. E substituiu a cruz pelo dinheiro.

Vou descrever este lobo moderno. Esse homem que imagino é um dos mais conhecidos pregadores de prosperidade do país. Há poucas semanas atrás, esta foi a sua mensagem: “Você já ouviu sobre a volta de Cristo. Já ouviu que Ele pode voltar a qualquer momento. Quero lhe dizer que isso é impossível. Ele não pode voltar enquanto você não estiver prosperando – enquanto você não tiver seu belo carro, enquanto você não tiver a casa dos seus sonhos. Ele simplesmente não pode voltar até que isso aconteça”.

Recentemente assisti um vídeo que me foi enviado sobre uma conferência de prosperidade. Eis a teologia proclamada nessa conferência: “Encontre o pregador mais próspero do qual você tenha conhecimento, e lhe dê dinheiro. As bênçãos sobre ele fluirão para ti”.

Um pastor da prosperidade então subia ao palco e descrevia seus carros, seu avião, sua casa, seus diamantes, um cão que ele comprou por 15.000 dólares. Ele declara, “Vou construir uma casa da qual Salomão se orgulharia. E então, quando as pessoas de minha cidade virem a minha mansão e o meu Rolls Royce, saberão que há um Deus nos céus”.

Enquanto falava, as pessoas subiam e enfiavam dinheiro nos bolsos dele. Outras em fila punham dinheiro no palco. Outras ainda jogavam dinheiro para ele. Então começava uma música chamada “Corra Atrás do Dinheiro”. Alguns se prostravam enquanto outros corriam pelo auditório cantando “Corra Atrás do Dinheiro”.

Amado, me choca e me surpreende como pastores e crentes que crêem na Bíblia possam ser levados a tanto engano. Mesmo em nossa igreja, alguns paroquianos passaram adiante mensagens gravadas pelo lobo que ensina “Jesus não pode voltar enquanto você não prosperar”. Que horrível blasfêmia! O próprio Jesus diz que devemos buscar a Sua chegada, que Ele virá em um piscar de olhos, quando menos O esperarmos.

Oh, o quanto a igreja ficou cega. E quão cegos tantos pastores estão agora. Igrejas que antes acreditavam no sacrifício, no negar a si mesmo e no tomar a cruz se tornaram corrompidas pela carne. O interesse delas está agora totalmente concentrado no ego, em coisas materiais, na vida boa, não na vida santa.

O profeta Jeremias descreveu os lobos que vêm sustentando tal engano: “São as suas casas cheias de fraude; por isso, se tornaram poderosos e enriqueceram. Engordam, tornam-se nédios…não defendem a causa, a causa dos órfãos, para que prospere; nem julgam o direito dos necessitados. Não castigaria eu estas cousas? – diz o Senhor; não me vingaria eu de nação como esta? Cousa espantosa e horrenda se anda fazendo na terra: os profetas profetizam falsamente…e é o que deseja o meu povo. Porém que fareis quando estas cousas chegarem ao seu fim?” (Jeremias 5:27-31).

Segundo Jeremias, esses lobos constroem suas fortunas em cima dos pobres e necessitados. Um proeminente evangelista está vendendo “cura para o câncer” por 1.000 dólares. Por 500 dólares, uma pessoa pode vir à frente e receber oração contra qualquer enfermidade. Mas oração contra o câncer custa 1.000 dólares.

Tudo isso é fedor às narinas de Deus. E digo onde acaba: servimos a um Deus paciente, que não quer destruir ou julgar a ninguém que seja levado à ciladas na ignorância. Ele irá avisar e corrigir o Seu rebanho. Mas vem o dia no qual dirá a estes lobos, “Chega! Vocês nunca mais roubarão viúvas. Vocês não vão transformar o sangue de Meu Filho em cartão de crédito para satisfazer tuas cobiças. Vocês não terão mais permissão para ir por todo o mundo e pregar um Cristo materialista. Vou levar à falência e expor todo lobo vestido de ovelha. Muito breve, o dinheiro que está fluindo para vocês se secará completamente”.

Todo Pastor do Senhor Foi Encarregado de Guardar o Rebanho Contra os Lobos

Quem os lobos procuram? Eles atacam a ovelha fraca, mal alimentada. Buscam as que não conhecem a Bíblia e são alcançadas por um evangelho egoísta. É por isso que a advertência de Paulo é clara e límpida: “Pastores e líderes, guardem-se. E guardem o rebanho ao qual fostes chamados a presidir. Alimentem a igreja de Deus”. Nós pastores recebemos ordem para enchermos o rebanho com a pura palavra de Deus. Só então ele estará capacitado para discernir o quê é do Espírito Santo, e o quê é do lobo.

Eu lhe pergunto: qual deveria ser o interesse de todo verdadeiro pastor nesse país? Não deveria ser uma nova maneira de seduzir as pessoas a irem à igreja. Não! Os pastores deveriam ser dominados pelo interesse que partia o coração do apóstolo Paulo. Deus colocou esse mesmo interesse no coração do profeta Amós: o perigo de uma fome da palavra de Deus.

Nos dias de Amós, Israel se tornara obcecado pelo siclo (unidade monetária israelense) e pelo materialismo. Enquanto isso, os pobres eram desprezados. Qualquer um que não tivesse sucesso era zombado. Então Amós brada, “Vós que tendes gana contra o necessitado… aumentando o siclo, e procedendo dolosamente com balanças enganadoras…(para comprarem) os pobres por dinheiro e os necessitados por um par de sandálias…Jurou o Senhor:…Eu não me esquecerei de todas as suas obras, para sempre!” (Amós 8:4-7).

Amós viu lobos atacando viúvas e os pobres, pegando sua prata, ou o seu sustento. E brada: “Vocês estão tirando os sapatos dos pés de viúvas; estão roubando os pobres”.

Vejo o mesmo acontecendo hoje. Um lobo – consultor de ministério – disse ao nosso administrador financeiro, “Se alguém manda doação ao teu ministério, envie-lhe um outro apelo rápido”. Em outras palavras, “Não importa quem envia o dinheiro. Que as viúvas e os idosos que te sustentam dêem mais – se é isso que querem. Simplesmente consiga o máximo que puder”. Não, nunca será assim! Hoje, o ministério desse consultor está próximo ao colapso.

Como o Senhor reagiu à essa avidez em Israel? Ele diz a Amós, “Eis que vêm dias, diz o Senhor Deus, em que enviarei fome sobre a terra, não de pão, nem sede de água, mas de ouvir as palavras do Senhor. Andarão de mar a mar…correrão por toda parte, procurando a palavra do Senhor, e não a acharão. Naquele dia, as virgens formosas e os jovens desmaiarão de sede” (Amós 8:11-13). Deus estava dizendo em essência, “Vão em frente, vão atrás dos siclos. Depreciem o pobre, o necessitado, a viúva, o piedoso. Mas lhes enviarei fome – sobre vocês e seus rebanhos. E terão fome – estarão privados de uma palavra do céu. Vocês correrão do leste para o oeste, tentando encontrar uma palavra vinda de Mim, mas palavra alguma virá”.

Igualmente hoje, o Senhor calará os céus a todo pastor do siclo, do dinheiro. Toda bênção que fluir, logo irá evaporar. E nos tempos difíceis, os rebanhos famintos que seguem tais lobos se dispersarão na corrida atrás de uma palavra de Deus.

Amado, o grande interesse de nosso Pai celestial é que nenhum “outro evangelho” nos afaste da cruz. Conheço muitos cristãos cuja fé naufragou porque lhes foram dadas palavras de bajulação anos atrás: “Você vai ter um grande ministério; ganhará milhares de almas para o Senhor”. Nem uma palavra disso ocorreu. E agora essas ovelhas estão totalmente desencorajadas, com esperanças reduzidas à cinzas.

Se você vai receber uma palavra do Senhor, que ela seja das escrituras. Que ela venha do precioso tempo com Jesus no seu quarto de oração. Que seus mais próximos amigos no Senhor testem essa palavra com você, para confirmá-la. Caso contrário, se permitir que alguma coisa cruze o caminho do evangelho verdadeiro, você acabará na fome.

Paulo Previne Sobre Uma Invasão Ainda Mais Perigosa Contra a Igreja de Cristo

Paulo diz aos efésios: “E que, dentre vós mesmos, se levantarão homens falando cousas pervertidas para arrastar os discípulos atrás deles” (Atos 20:30). A palavra “pervertidas” em grego aqui quer dizer persistência obstinada em promover o erro.

Paulo está prevenindo: “Alguns de vocês em autoridade se levantarão trazendo um evangelho distorcido. Vocês introduzirão uma corrupção do puro evangelho”. Do quê Paulo estaria falando? Como uma coisa destas poderia acontecer entre os líderes desta igreja?

Perceba, Paulo não está agora falando de lobos ou de ladrões de viúvas; ele não está concentrando a atenção nos que menosprezavam o pobre. Não, Paulo está se referindo a ministros que se acovardavam e recuavam não pregando todo o desígnio de Deus. Ele está falando dos que apresentam um evangelho aguado, um evangelho pela metade, só uma parte da palavra de Deus.

Paulo declara a estes homens: “Porque jamais deixei de vos anunciar todo o desígnio de Deus” (20:27). Portanto, diz, “Vos protesto, no dia de hoje, que estou limpo do sangue de todos” (20:26). Em outras palavras, “Estou inocente diante do Senhor, pois não retive nada na pregação de toda a verdade de Deus a vocês”.

Então, o que é “todo o desígnio de Deus” ao qual Paulo se refere aqui? Resumindo, todo o desígnio de Deus inclui os assuntos duros das escrituras, não apenas as bênçãos. Inclui pregar sobre a extrema iniqüidade do pecado. Quer dizer pregar sobre o inferno, sobre a volta de Cristo, sobre o juízo vindouro. Quer dizer incluir a mensagem do pesar piedoso devido à prática do pecado, mensagem sobre arrependimento, do abandono do pecado. É a pregação de um evangelho ofensivo do sangue de Cristo. É uma mensagem de tomar a cruz, de negar a si mesmo, de sacrifício, de morrer com Cristo. É um evangelho de santidade e de separação do mundo.

Alguns ministérios atualmente são dedicados à promoção do que chamam evangelho “amigável”, querendo dizer um evangelho não ofensivo. O dicionário define “amigável” como caloroso, confortador, não perturbador. Claro, creio que o evangelho de Jesus Cristo é confortador e curativo. São as boas novas – na verdade, as melhores notícias que o homem algum dia poderia ouvir. E como mensageiros do evangelho, devemos pregar encorajamento, esperança e fé.

Mas se guardarmos a advertência de Paulo, então somos chamados a pregar todo o evangelho. E “todo o evangelho” inclui uma mensagem ofensiva, uma palavra provocativa e de convencimento a qualquer coração pecador, seja de crentes ou não crentes, igualmente.

Segundo Pedro, o evangelho de Jesus Cristo é “pedra de tropeço e rocha de ofensa. São estes os que tropeçam na palavra, sendo desobedientes” (I Pedro 2:8).

Mas o evangelho “amigável” que está sendo apresentado hoje se recusa a fazer isso. Estes pastores raramente levam o povo a um convencimento do pecado por parte do Espírito Santo. Dá para imaginar Paulo pregando uma mensagem que exclua o chamado para negar-se a si mesmo? Nunca!

O evangelho “amigável” é nada mais que uma mensagem aguada, macia e de entusiasmo destinada a atrair as maiores multidões possíveis. Contudo, tragicamente, ela nunca confronta o ponto que leva todo homem à cruz: o pecado. Em vez disso, ela oculta a verdade, a específica verdade que objetiva tornar as pessoas livres.

Lendo a Advertência de Paulo, Tremo Diante do Quê Vejo Estar Por Vir em Nossos Dias

Estou determinado a pregar todo o desígnio de Deus até o dia em que eu vá estar com o Senhor. E farei isso devido ao aviso de Deus a todos os pastores em Ezequiel 33:

“E, vendo ele (o atalaia) que a espada vem sobre a terra, tocar a trombeta e avisar o povo; se aquele que ouvir o som da trombeta não se der por avisado, e vier a espada e o abater, o seu sangue será sobre a sua cabeça. Ele ouviu o som da trombeta e não se deu por avisado; o seu sangue será sobre ele; mas o que se dá por avisado salvará a sua vida.”

“Mas, se o atalaia vir que vem a espada e não tocar a trombeta, e não for avisado o povo; se a espada vier e abater uma vida dentre eles, este foi abatido na sua iniqüidade, mas o seu sangue demandarei do atalaia.”

“A ti, pois, ó filho do homem, te constituí por atalaia sobre a casa de Israel; tu, pois, ouvirás a palavra da minha boca e lhe darás aviso da minha parte. Se eu disser ao perverso: Ó perverso, certamente, morrerás; e tu não falares, para avisar o perverso do seu caminho, morrerá esse perverso na sua iniqüidade, mas o seu sangue eu o demandarei de ti. Mas, se falares ao perverso, para o avisar do seu caminho, para que dele se converta, e ele não se converter do seu caminho, morrerá ele na sua iniqüidade, mas tu livraste a tua alma” (Ezequiel 33:3-9).

Como pregador da palavra de Deus, devo avisar os perversos, ou o Senhor me terá como responsável pelo sangue deles. Não é de se estranhar que Paulo tenha dito aos efésios: “Sou inocente do sangue de todos”. Ele conhecia o aviso de Deus aos pastores em Ezequiel 33.

Prego numa igreja onde as pessoas vêm de todos os caminhos da vida: travestis vivendo num inferno pessoal, atores e atrizes se afogando no desespero do álcool e das drogas, executivos desesperados à beira do suicídio. Olhando o rosto de sofrimento destes pecadores, como eu poderia ter medo de lhes dar a verdade? Como seria possível eu lhes reter qualquer parte da palavra de Deus, sabendo que a única verdade que falará a eles é o sangue de Jesus e a cruz de Cristo?

A minha mensagem às vezes pode ofender pecadores ou aos que transigem. Mas não terei nenhum sangue em minhas mãos no Dia do Juízo. Alguém pode achar, “Tudo que você está declarando é do Velho Testamento. Isso não se aplica nesses dias da graça”. Se isso é verdade, então Jesus estava errado quando citou Isaías e os outros profetas. E o mesmo vale para João Batista e o apóstolo Paulo. Pedro registra: “Dele todos os profetas dão testemunho” (Atos 10:43).

Jesus diz que o bom pastor dá a vida pelas suas ovelhas. O quê isso significa, exatamente, para um ministro de Deus hoje? Inclui deixar todo orgulho, todo temor do homem, e qualquer covardia quando se trata de pregar todo o desígnio de Deus. Isso é algo que se requer de qualquer pastor que seja chamado a alimentar o rebanho.

Agora, lhe dou boas notícias.

Vejo Deus Levantando Um Remanescente Santo de Bons Pastores

Esses pastores estão buscando Deus com renovada diligência. São ministros consagrados, jovens e velhos, que não permitem que lobo algum toque seus rebanhos. Tais pastores quando olham em torno à igreja hoje, não agüentam mais com os exageros e absurdos que vêm. Choram observando ovelhas se dispersando a torto e à direita, por não terem um pastor real.

Esses piedosos pastores têm um interesse: estão resolvidos a alimentar os rebanhos com a pura palavra de Deus. Recusam-se a construir os próprios sonhos nas costas das ovelhas pobres ou frágeis. Pelo contrário, eles vão ao púlpito com uma palavra nova e flamejante do Espírito Santo. Eles sabem que essa é a única coisa que irá guardar os seus rebanhos nos difíceis dias que virão.

O meu filho Gary e eu encontramos esses consagrados pastores por todo o mundo, em nossos encontros ministeriais. Eles estão cansados dos conceitos humanos e das manobras no ministério. A única coisa que querem é ouvir o quê vem de Deus. Eles sabem que esse mundo se apressa para o juízo, então pregam com o fogo do Espírito Santo. Eles não competem um contra o outro, tentando ser astros religiosos. Não querem ser achados perseguindo sonhos tolos, agora que Deus está abalando todas as estruturas.

Eu creio que breve, em um único dia – um dia de terror e de pânico – Deus irá derrubar todos os evangelhos falsos e perversos. Ele fechará todas as igrejas que se aproveitam das fraquezas da carne. O Apocalipse diz que em uma hora Babilônia cairá. É quando vejo Deus levando à falência todo “ministro lobo”.

Em seu lugar se levantará um corpo de vencedores. Serão servos de Deus destemidos, santos, plenamente preparados porque foram plenamente advertidos. Será quando veremos a glória de Deus voltando à Sua igreja. Aleluia!

 por: David WilkersonPublicado com permissão de:
World Challenge, Inc.
PO Box 260
Lindale, TX 75771
www.worldchallenge.org

Portal Padom

Deixe sua opinião