A Guarda Municipal de Arujá deteve na tarde desta quarta-feira, 02, o jovem A.S.T., 20 anos, flagrado colando panfletos em postes da cidade.
Com a chegada da viatura o primo dele, que também auxiliava o trabalho, fugiu do local com os panfletos. De acordo com o guarda municipal Almeida, da viatura 245, a Guarda recebeu a denúncia pelo telefone. “Assim que recebemos a informação nós nos deslocamos até o local em frente à Igreja Universal em Arujá e um deles já havia se evadido com o material, mas conseguimos prender um que se encontrava com uma brocha cheia de cola e uma escada. O mesmo informou que o panfleto era sobre uma megavigília de uma igreja evangélica”.
A ocorrência foi conduzida pela viatura da Guarda prefixo 245 que contou com o apoio das viaturas 214 e 213, além do acompanhamento da Polícia Militar e do Departamento de Fiscalização da Prefeitura Municipal.
A colagem de cartazes é proibida conforme a chamada Lei Cidade Limpa, em vigor na cidade desde o ano passado. “Colar qualquer panfleto nos postes ou muros da cidade é proibido. A cidade tem que ser mantida limpa e nós da Guarda Municipal estamos sempre apoiando o trabalho da fiscalização para ter uma cidade melhor”, afirma Almeida.
O rapaz detido estava sem documento de identidade, disse que mora em Itaquaquecetuba e informou inicialmente que não sabia dizer o nome da pessoa que o contratou para fazer o serviço.
Contudo, em entrevista ao Diário Jornal da Cidade, ele deu outra versão. “O nome do cara era Alfredo, ele é de meia idade, moreno. O lugar onde ele mora eu não sei porque eu estava na rua jogando bola, ele parou lá e perguntou para mim e para os meus amigos quem podia colar os anúncios para ele, que pagaria R$ 20,00 ao dia”, contou A.S.T.
O jovem nega que o primo tenha fugido do local. “Eu mandei ele ir atrás do cara porque ele tinha acabado de sair de lá, e quando meu primo foi atrás do cara os guardas já me trouxeram para cá e nós nos desencontramos”.
Ele alegou que desconhecia a Lei Cidade Limpa do município. “Foi complicado porque o rapaz disse para eu colar os anúncios dele, mas é proibido na cidade. O povo aqui em Arujá exige limpeza. Eu sou do Caiuby, em Itaquá, e não sabia. Deu o maior rolo porque o cara me contratou, falou que ia pagar o dia e acabei ficando sem dinheiro, e sem colar os cartazes. Acabei até me perdendo e sendo apreendido. Os guardas municipais estão fazendo um ótimo trabalho em Arujá”, elogiou.
O jovem foi levado à Delegacia de Polícia de Arujá onde o Departamento de Fiscalização elaborou uma multa em 1.000 UFM (Unidades Fiscais Municipais), o que contabiliza cerca de R$ 2.000,00. O jovem foi liberado em seguida.
“Essa multa eu vou ver se corro atrás dessa megavigília. Eu tenho certeza de que o panfleto era da megavigília, mas não sei de qual igreja. A cidade da igreja eu também não sei explicar porque não cheguei a ler o endereço no panfleto”, lamenta.

Leia também!  Miss Visibilidade Lésbica,Evento chamou a atenção de homem evangélico que passava pelo centro de Santiago

Lei Cidade Limpa
A Lei Cidade Limpa, criada no ano passado, tem sido colocada em prática no município pelo Departamento de Fiscalização da Prefeitura Municipal em conjunto com a Guarda Municipal.
O projeto de Lei nº 2.127/08 de autoria do vereador Vicente Nasser do Prado, o Souzão, proíbe propagandas ou publicidades em espaços públicos e muros da cidade e inclusive já virou modelo para outros municípios da região.
O objetivo da medida é eliminar a poluição visual no município proibindo todo tipo de publicidade externa, como outdoors, painéis em fachadas de prédios, banners e muros.
A Lei foi promulgada pela gestão anterior e entrou em vigor no dia 02 de julho de 2008, quando foi homologada na Câmara Municipal, porém uma das empresas de outdoors havia entrado com uma liminar que impedia o trabalho da fiscalização municipal e que apenas no final de 2008 foi derrubada para que então a lei pudesse entrar em vigor.
jornaldacidadearuja/padom

Deixe sua opinião