Várias organizações cristãs que defendem a liberdade religiosa em todo o mundo têm pedido para que a comunidade internacional tome ações concretas para impedir os abusos dos direitos humanos na Coreia do Norte.

coréia-do-norte-perseguição-cristãosA Associação para a Liberdade Religiosa que é composta por vinte instituições, entre elas o ministério Portas Abertas dos EUA, A Comissão de Liberdade Religiosa do Mundo, Aliança Evangélica Mundial e pela China Aid, entre outras. Na chamada “Declaração de Ottawa” referem-se ao último relatório da ONU que comprovam os abusos dos direitos humanos.

A declaração manifesta preocupação com as pessoas presas no sistema de campo de concentração, para com as vítimas da perseguição religiosa, as mulheres abusadas e os refugiados norte-coreanos na China. Onde tem feito um apelo para “uma resposta forte das organizações internacionais na sequência do relatório abrangente recém-lançado” pela ONU.

Mervyn Thomas, presidente da Christian Solidarity Worldwide, destacou a importância de tomar medidas. “O relatório é bem documentado e contem as recomendações da Comissão de Inquérito da ONU. As atrocidades indescritíveis em relação aos direitos humanos reveladas no relatório já vêm acontecendo há muito tempo, e agora a comunidade internacional deve agir para fazer uma diferença real na vida dos norte-coreanos. Agora é a hora de agir.”

Segundo o comunicado, elaborada durante a reunião anual das organizações membros, realizada em Ottawa (Canadá), em abril, a Associação de Liberdade Religiosa está empenhada em “realizar a investigação em profundidade sobre os direitos humanos e as violações da liberdade religiosa na Coréia do Norte através da documentação fornecida por sobreviventes e refugiados “e” difundir amplamente a informação sobre a realidade da vida na Coréia do Norte. “

Oremos para os nossos irmãos que vivem na Coréia do Norte, crendo que Deus pode realizar o impossível naquela nação.

Leia também!  Aos domingos, igrejas chinesas teriam hoje mais fiéis do que as europeias somadas

Portal Padom

Deixe sua opinião