Movimento lança campanha polêmica
O nome do movimento é Javé Nossa Justiça. O emblema é um arco-íris e a polêmica em torno do que pregam seus integrantes promete ser das maiores.
De cunho ecumênico, o grupo, criado em Pernambuco há sete anos, acaba de lançar uma campanha contra o que considera apenas dois dos sete “males” da humanidade: o aborto e a homossexualidade. Munida com ao todo dois mil cartazes sobre o tema, a coordenação do movimento disse que já deu início à distribuição da papelada junto a igrejas, centros espíritas e templos evangélicos de todo o país. E a ação não para por aí. Seus integrantes garantem que vão estampar essas ideias em outdoors e nos jornais que circulam em Pernambuco.O coordenador do Javé Nossa Justiça, Marcio Borba, disse que a campanha não tem tempo para acabar. “Fazemos a defesa intransigente da vida”, disse, referindo-se ao aborto. Na opinião dos membros do grupo, o aborto não deve ser feito nem mesmo nas condições previstas em lei. “O estuprador quer viver, a mãe quer viver e o feto também quer viver, só que ele não pode falar. Queremos falar por ele”, ressaltou Marcio, enquanto mostrava o cartaz com os dizeres: “É hora de pensar. Mesmo indefeso, o embrião tem os mesmos direitos de um ser humano. Não deixe que a vida dele seja interrompida. Diga não ao aborto”.
Reprodução – Tanto o aborto, quanto a homossexualidade são combatidos, na opinião do movimento, dentro da ótica dos preceitos bíblicos. No cartaz em que assumem a postura contra a união de pessoas do mesmo sexo, afirmam: “Ser contra o homossexualismo não é preconceito, é conceito cristão”. Logo abaixo vem um texto extraído de Romanos. “O homossexualismo impede a reprodução, não gera vida. Além disso, a própria Organização Mundial de Saúde reconhece o homossexualismo como uma doença, tratável”, comentou Marcio Borba.
Além da campanha, o movimento cristão Javé Nossa Justiça faz atualmente outras ações dentro da tríade caridade, evangelização e defesa intransigente da vida. “Atendemos entidades sem recursos e sem acesso à mídia, colocando-as na internet,com fotos, textos e contatos para quem quiser ajudar”, informou Marcio Borba. Além do aborto e da homossexualidade, o grupo também se posiciona contra a violência, a prostituição, as drogas, o ateísmo e a pedofilia.

Diáriopernanbuco/padom

Deixe sua opinião