Filho de Benny Hinn é detido em Manaus sob suspeita de agredir deficiente em culto

benny hinn no brasilA Polícia Militar do Amazonas deteve três americanos suspeitos de agredir um deficiente auditivo em Manaus durante culto realizado na noite do último sábado (16). O crime teria acontecido dentro de um contêiner no Centro Cultural Povos da Amazônia, localizado no bairro Distrito Industrial, Zona Sul da capital.

A PM encaminhou a vítima e os suspeitos para a o 3º Departamento Integrado de Polícia (DIP) por volta das 23h. Segundo o investigador Souza, na delegacia, o deficiente desistiu de prosseguir com a representação. “Ele não quis registrar o boletim de ocorrência. Por esse motivo, não foi feito o Termo Circunstancial de Ocorrência (TCO)”, afirmou. O delegado plantonista ouviu os envolvidos e os americanos foram liberados em seguida. A Polícia Civil confirmou a informação.

De acordo com a PM, um dos acusados seria filho do pastor norte-americano Benny Hinn  e os outros dois são seguranças do missionário. Os suspeitos têm  21, 26 e 34 anos, respectivamente.

A Polícia Civil disse que não será instaurado inquérito para investigar o caso, já que a vítima se recusou em prosseguir com a representação. A polícia não soube informar o motivo da agressão nem a idade do deficiente.

Após dar informações no 3º DIP, o deficiente auditivo foi encaminhado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o Hospital 28 de Agosto, Zona Centro-Sul da capital. Conforme a assessoria de comunicação do hospital, após ser atendido, o paciente recebeu alta médica ainda na noite de sábado. As informações sobre as lesões da suposta vítima não foram fornecidas.

“Quando o paciente vai a óbito ou recebe alta médica o prontuário não pode ser acessado no sistema por ser um documento confidencial. Somente a consulta pode ser feita agora no setor de arquivo em horário comercial”, justificou a assessoria do Hospital 28 de Agosto.

O culto reunia os pastores Benny Hinn e Renê Terra Nova, dirigente da Igreja Restauração em Manaus. O G1 tentou contato com a direção da igreja por telefone, mas não obteve sucesso.

A reportagem também tentou falar com o consulado norte-americano em Manaus, sem êxito.

G1 / Portal Padom

 

Deixe sua opinião