Um membro da congregação levantou. Em seguida, outro. Em seguida, outro. Cada um saiu “sacudindo suas cabeças“, porque o pastor T.L.Bates, se recusou em comprometer a Palavra de Deus.

O pastor estava pregando na Assembleias de Deus, a mensagem “Fire Starters”, (O Fogo de Deus, tradução literal), de acordo com TRUNews, e ao abortar um dos temas mais polêmicos enfrentados na comunidade da igreja nos dias de hoje: A homossexualidade.

“Eu usava Elias como exemplo do ‘Fogo de Deus’, e da nossa necessidade de levantar uma geração de ‘Fogo de Deus’, que não teria medo de enfrenar as falsas religiões (como o islamismo) e a cultura corrupta”, disse Bates ao Charisma News. “Qualquer (comediante, comunidade LGBT a mídia), podem dizer coisas negativas sobre o cristianismo e neste caso não existem repercussões sobre suas ações ou suas palavras. Mas assim que um cristão prega ou fala contra a falsa religião do Islã ou contra a agenda da comunidade LGBT, e do movimento transgênero, vem seus processos sobre nós para nos fazer acomodar e nos fazer aceitar o seu estilo de vida e de sua agenda, então com isso estamos diante de uma perseguição. Somos chamados de intolerantes e dizem que não estamos sendo politicamente correto“.

“Eu estava dizendo, que ‘Nós precisamos do ‘Fogo de Deus’, como Elias, que clamou fogo do céu para enfrentar a cultura e as falsas religiões com a verdade inegável, inflexível e sem correção política. Foi neste momento que comecei a ver as pessoas se levantar e caminhar para fora, balançado a cabeça”.

O pastor da Igreja da Fé de Oklahoma, disse que aproximadamente 50 a 75 pessoas de todas as idades e raça saíram no momento em que ministrava.

Apesar dos amplos protestos e censura, Bates é um dos muitos que não vão ignorar o ensino bíblico.

Congratulamo-nos com todos na Fé, independentemente de sua orientação sexual, raça ou crença religiosa. Mas não vamos mudar o Evangelho ou modificar a nossa mensagem de forma alguma para acomodar qualquer visão ou estilo de vida que é contrário à Palavra de Deus“, disse Bates, que acredita que a “comunidade LGBT, está empurrado ativamente sua agenda em toda a sociedade, enquanto os cristãos permanecem em silêncio. Meu chamado para o ‘Fogo de Deus’ foi para levantar uma geração d crentes que estejam espiritualmente me chamas (ponto de paixão fervente), que não seriam intimidados pelas falsas religiões ou cultura enganosa por causa do politicamente correto. Nós temos a obrigação de Deus para pregar a verdade em amor, mas também para pregar a verdade sem desculpas”.

Diana Pulliam, membro da congregação saiu em defesa de Bates, dizendo que a mensagem era sobre o arrependimento e convicção.

Nosso pastor começou a pregar uma mensagem de arrependimento, dizendo coisas como: ‘Não importa o que se torna Presidente, ninguém pode salvar este país!’

Eu o vi pregar esta mensagem do tempo do fim, e ele está em chamas para com o Senhor. Mas assim que suas mensagens se tornou politicamente incorreto, as pessoas começaram a sair dos serviços – bem no meio de suas mensagens.”

Mas o pastor enfrentou críticas por sua mensagem. Alguém deixou um bilhete anônimo em seu para-brisa lhe provocando por sua “intolerância”. Outros ameaçou reter seus dízimos. Ainda outros nunca mais voltou.

Ainda assim, Bates mantém firme.

“Ao longo de quase 40 anos de ministério pastoral, tenho visto que o que uma geração é convidada a tolerar, a próxima geração aceita e a próxima geração participa. Então, na minha opinião pessoal, creio que a comunidade LGBT, bem como o Islã e muitos outros, têm uma agenda que já não quer que sejamos tolerantes ao seu estilo de vida e crenças, mas ser aceitas e eficiente“, diz Bates. “O banheiro questão transgênero é apenas a ponta do iceberg. Em algum lugar temos de traçar a linha e se recusar a comprar para o pedido do politicamente correto ou tolerância e aceitação e corajosamente declarar a Palavra de Deus, sem medo de homem.”

E através de sua mensagem, Bates insta outros crentes a lutar por justiça também.

“Exorto os pastores e crentes em toda parte para parar de comprar a mensagem da cultura, expectativas e exigências que sejamos tolerantes, compreensão e aceitação destes estilos de vida ímpios e falsas religiões, mas que falemos o que é certo”, diz Bates. “Que essa experiência simplesmente nos torne em uma chamada para a oração para todos os intercessores, porque estas situações são apenas mais uma evidência dos últimos dias em que vivemos antes da vinda do Senhor e o julgamento final de Deus.”

Portal Padom

Deixe sua opinião