FIDO DIDO – O QUE SIGNIFICA ESTE NOME?

0
15667

story Você já ouviu algum cristão dizer que os crentes devem rejeitar o personagem Fido Dido e todas as marcas relacionadas a ele? Eujá, e logo considerei que a declaração de que Fido Dido era o mesmo que “filho do diabo”, e que o dono da marca era uma pessoa satanista, seriam mais uma daquelas ondas de lendas urbanas encontrada em uma parte do meio evangélico . Invenção de fanáticos, pessoas compulsivas em procurar mensagens subliminares em tudo. Então, deixei o assunto de lado até hoje, quando a pergunta voltou à baila e fiz uma pesquisa na Internet.

Descobri que o personagem Fido Dido foi criado por Joanna Ferrone e Sue Rose em um guardanapo de papel num bar de Nova York em uma noite de 1985. Elas usaram apenas 15 linhas para criar a face inconfundível daquele rosto numa forma triangular invertida, com pontos no lugar de olhos e do nariz e cabelos arrepiados no topo da cabeça. Deram-lhe personalidade descontraída. A criação visava atingir os consumidores de histórias em quadrinhos, e demorou para cair na graça de todo o mundo. Começou a fazer sucesso apenas nos anos 90.

A filosofia de Fido Dido inspirou o “credo de Fido”, um manifesto composto por 37 palavras contendo princípios orientadores, que contém a essência do personagem: Fido é pró fido; Fido não é contra ninguém; Fido é juventude; Fido não tem idade. Fido vê tudo; Fido não julga nada; Fido é inocente; Fido é poderoso; Fido vem do passado; Fido é futuro.

Em minha pesquisa, ainda constatei que tanto Fido quanto Dido são nomes próprios. Dido tem origem no latim, significa fiel. Já o nome Dido pertenceu a uma rainha de Cartago, que ficou conhecida por ser muito alegre, brincalhona e guerreira.

Fido é o sobrenome de uma personagem da série Harry Porter. Também existe uma cantora secular britânica que se identifica como Dido, inspirada na rainha de Cartago.

EmO Evangelicos? “EMOrragia”: Entenda a mania que quer dominar os jovens cristãos

Cartago foi uma cidade poderosa entre os séculos V e III a.C., destruída em 146 a.C., situava-se na costa da Africa do Norte, na península onde hoje está a cidade de Tunis. Nela, adorava-se Baal Hammon, deus fenício, identificado pelos gregos comoCronos e pelos romanos como Saturno. Baal significa “senhor”,entretanto, o significado de Hammon é incerto, sendo possível sua origem no Amón (ou Ammón – o oculto), símbolodo poder criador e “Pai de todos os ventos”, na mitologia egípcia. Em seu nome se faziam sacrifícios humanos, “Moloc”, como oferenda religiosa. Durante algum tempo associou-se controvérsia a este respeito: os restos humanos encontrados no tofet de Cartago haviam sido atribuídos a restos procedentes de crianças mortas por causas naturais ou a produtos de abortos humanos, ainda que a abundância de restos, a idade da morte das crianças, assim como a presença de restos animais que se supõe eram sacrificados em substituição de algumas crianças, provavelmente filhos de famílias poderosas, praticamente descarta a primeira idéia.

Fido Dido foi marca licenciada para servir de garoto-propaganda da Pepsico, refrigerante 7UP, mas logo foi substituído. Hoje, se transformou na marca de jeans, grife voltada aos consumidores jovens, feminino e masculino.

Fido Dido demonstra alegria e ao mesmo tempo parece desengonçado, não tem o biotipo de galã, não é bonito, não lembra o herói dos filmes de cinema. Tem cabelos arrepiados, não tem força física, mas ao mesmo tempo seu pulsar é forte, passa alegria de viver e sabe celebrar a liberdade. A garotada se identifica. Vê nele um ideal, um elo à questão existencial em que vive, pois a juventude procura autoafirmação enquanto cresce cheia de anseios, com mudanças no corpo e espinha no rosto.

Talvez seja por este perfil que Fido Dido seja um personagem tão querido. Ele cumpre bem o papel de companheiro do jovem complexado, mostra que há dignidade nas faixas etárias infanto-juvenil e adolescente.

por: Elizeu Antonio Gomes

Portal Padom

Deixe sua opinião

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui