fe-misticosPassam das cinco e meia da tarde e uma multidão se aglomera no quintal de uma casa simples, no Jardim Capitão, em Sorocaba. Todas essas pessoas oram ardorosamente, num sinal de muita fé e devoção. No centro delas, em frente a uma gruta construída de pedras e com um altar, Anderson Freitas diz que vê e recebe mensagens de Nossa Senhora de Lurdes do Coração Partido e de Jesus Cristo. Ainda no mesmo local, duas imagens da santa (de Lurdes e de Nossa Senhora de Fátima) começaram inexplicavelmente, segundo os proprietários do local, a verter primeiramente óleo e hoje em dia expelem mel. Só que o rapaz que se intitula missionário, já que recebe também aparições de Jesus e Maria, fato inclusive impresso num cartão de visita que ele mesmo distribui, é acusado de ter usado a fé do povo numa farsa parecida na cidade de Pindobaçu/Bahia, localizada a 381 km de Salvador.O arcebispo de Sorocaba, Dom Eduardo Benes de Sales Rodrigues, confirmou as informações com o bispo da Diocese de Bonfim, Dom Francisco Canindé Palhano e também com o pároco de Pindobaçu, Frei Sebastião. Na época, garante nota do arcebispo de Sorocaba, as atividades de Anderson Freitas foram vetadas pelas autoridades eclesiásticas. As atividades religiosas do jovem não têm a aprovação da igreja, bem como os fenômenos de visões não são reconhecidos.

Na hora que visualiza a santa, no meio de todos os devotos, o rapaz, que carrega um terço pendurado no braço esquerdo, ajoelha-se no chão frio e olha fixamente em direção ao céu. Com uma caneta azul nas mãos, daquelas tipo promocionais, ele começa a escrever num caderno, quando o olhar agora fica dividido também com o papel. Ao seu redor, as pessoas, em sua maioria formada por idosos, emocionam-se, fecham os olhos, rezam e alguns chegam às lágrimas.

Os produtos, que vertem das imagens, a partir dai, de acordo com uma centena de fiéis, já teriam operado verdadeiros milagres, como melhora no quadro clínico de doentes e cura de outras enfermidades. Ao final do culto, Anderson Freitas e a proprietária das imagens, Eliete Aparecida Oliveira do Amaral, distribuem aos fiéis, em frascos, o mel, o óleo e a água que seriam advindos das imagens.

A água, explica Eliete, é proveniente da torneira da gruta, feita a pedido de Nossa Senhora de Lurdes do Coração Partido, em conversa com o confidente Anderson Freitas. Segundo ela, é água encanada, que viraria santa depois que saísse da torneira da gruta. No momento que os produtos são entregues, uma sacolinha é passada entre os fiéis e, ao microfone, Anderson indica que a oferta em dinheiro seria destinada a dois propósitos: construção de uma igreja em Arujá e ajuda às famílias necessitadas.

Em nota, Dom Eduardo Benes informou, em conversa com o bispo de Mogi das Cruzes, Dom Airton, ocorrida na tarde de ontem, que Anderson não tem autorização para receber donativos, já que na diocese a qual pertence a cidade de Arujá, não há nenhum pedido de construção de igreja. Questionado sobre se o dinheiro teria ligação com os produtos dados, Anderson desmente: Tem nada a ver com o mel não, é pra construção de uma capela.

Em Pindobaçu, uma capela, com dinheiro arrecadado dos fiéis e instalada em terreno doado aos missionários, foi construída. Ela, no entanto, acabou destruída por fiéis católicos a pedido do bispo da época, já que segundo as pessoas ouvidas pela reportagem, a farsa da visão foi descoberta. Após o episódio, o terreno foi doado à igreja católica de Pindobaçu.

No final da nota, Dom Eduardo Benes alerta os católicos para não darem crédito a fatos maravilhosos sobretudo quando não recebem apoio dos párocos e dos bispos.

Pessoas falam de graças alcançadas

Fiéis são ‘(a)traídos’ pela fé

No cenáculo realizado todo dia 2 de cada mês, na casa do bairro Jardim Capitão, as pessoas são atraídas pelos dois fenômenos místicos e também pela possibilidade de alcançar uma graça: um milagre. A fé obstinada, como diria Milton Nascimento, cega e faca amolada. Todos os ouvidos na reportagem, durante a visita ocorrida terça-feira, foram enfáticos em dizer que acreditavam na visão e mensagens da santa passadas a Anderson, como também que as imagens vertem mel. Eles ainda disseram que foram agraciados, assim que tiveram contato com a água, o mel e o óleo.

Tão logo Anderson ajoelhou, uma mulher se aproxima da reportagem e diz: Moço, quando ele ajoelhar é que tá enxergando a Nossa Senhora. Ocorre outra abordagem, assim que Anderson, já ajoelhado, começa a distribuir rosas: Moço, pode ver. Ele não larga a rosa pra qualquer pessoa. É Jesus quem indica e tem que ser a pessoa certa pra ele soltar a rosa.

Mas por que um e não outro. Ela ri e diz: Sei não moço, é Jesus quem sabe.

Essa interlocutoram, L.M.M, de Votorantim, indica que acredita piamente em Anderson, como também é testemunha que a santa verte mel.

Já o sorocabano P.L.C é outro que teve graças alcançadas depois que começou a participar das celebrações da santa do mel. Minha vida melhorou, sou outra pessoa. Teve um conhecido nosso que parou de ter crises de epilepsia após passar o óleo e tomar o mel.

A sorocabana Z.A.Z.R. disse que testemunhou dois milagres, já que sua mãe se recuperou de dois acidentes vascular cerebral (avcs) por causa do tratamento com mel e óleo. Hoje em dia ela esta bem de saúde, recuperou-se duas vezes com o mel e o óleo.

Em Pindobaçu, o possível golpe

Na cidade de Pindobaçu, localizada no centro norte da Bahia, o possível golpe teria atingido de pessoas muitos simples a personalidades da música popular brasileira. A cantora Elba Ramalho teria sido uma das vítimas, que inicialmente acreditou no grupo de que Anderson Freitas fazia parte. Depois, segundo relatos, ajudou a desmascarar os religiosos, inclusive com uma entrevista numa emissora de rádio da localidade. O Cruzeiro do Sul procurou a assessoria de imprensa da artista para verificar a veracidade das informações, porém até o fechamento da edição não havia obtido nenhum retorno.

Em Pindobaçu, o professor Eugênio Moreira Silva disse que o golpe começou com as visões e tinham como líder Joel. Silva afirmou que Anderson Freitas fazia parte da seita, que inclusive teria colocado anil na água para dizer que era proveniente da santa. O professor disse que Elba Ramalho também foi vítima de Anderson e Joel, mas depois em entrevista a rádio local chegou a desmascará-los. Silva disse que a cantora chegou a doar dinheiro, carro e até uma casa aos farsantes.

O pároco de Pindobaçu, Frei Sebastião, disse que o movimento chegou a dividir os católicos da cidade. Segundo ele, o município estava sem padre na época, e por isso, a seita que via e recebia mensagens da santa cresceu rapidamente do início dos anos 2000 até 2003. Eles brincaram com a fé do povo, admitiu.

A religiosa Neiza de Oliveira e Souza foi outra que acompanhou a ‘farsa produzida pela seita de Anderson. Ela indicou que cerca de 80% da cidade, que tem por volta de 19 mil moradores, acreditou inicialmente nas visões de Nossa Senhora. Neiza acrescentou que um morador, chamado José Raimundo, doou um terreno aos ‘religiosos que levantaram uma capela no local. Depois que descobriram que era mentira, o terreno foi doada à igreja católica e a capela demolida. Rapaz, esse pessoal aprontou muito por aqui, esbravejou.

“Não tive nenhum problema na Bahia”, diz Anderson

Sem saber das acusações que lhe foram feitas, por conterrâneos de Pindobaçu/Bahia, Anderson Freitas disse que nunca teve problemas na sua cidade. Segundo ele, sua visão não era tão pública quando residia na cidade baiana.

Já quando começou sua perigrinação pelo país, para divulgar as mensagens da santa, passou a sofrer perseguição de pessoas incrédulas.

O confidente indicou que, no dia 3 de fevereiro deste ano, recebeu uma mensagem de Nossa Senhora de Lurdes informando sobre a gripe suína. A santa me disse que ia surgir uma doença no México.

Na terça-feira, enquanto a reportagem acompanhou a mensagem emitida ao vivo, marcada para as 17h30, a mensagem foi passada por Jesus Cristo: Ele pediu que rezemos pela paz no mundo.

O religioso afirmou ainda que a cantora Elba Ramalho visitou Sorocaba recentemente para acompanhar a santa que verte mel.

CruzeirodoSul/NoticiasCristas/padom.com

Deixe sua opinião