JUNTE-SE AO NOSSO GRUPO no Telegram ou WhatsApp. Oferecemos o que há de mais relevante em notícias e conteúdo cristão 🤗

O “Pensamento positivo” por si só não é suficiente. As vítimas de traumatismo crânio-encefálico (TCE) que acreditam que estão perto de uma “força superior” apresentam melhor sucesso na reabilitação emocional e física, de acordo com uma pesquisa Wayne State University.

Muitas vítimas de TCE são conhecidas por usar a religião e a espiritualidade como ajuda, mas permanecem cientificamente investigados quais os elementos da religião e da espiritualidade afetam de fato os resultados da reabilitação.

Oitenta e oito participantes adultos com 1 a 20 anos de lesões cerebrais e seus “outros significativos” participaram do estudo realizado por pesquisadores Dr. Brigid Waldron-Perrine e Dra. Lisa J. Rapport da Wayne State University. Enquanto os sobreviventes foram convidados a relatar “subjetivamente” suas crenças religiosas e espirituais e seu atual senso de bem-estar físico e mental e seus outros significativos, foram relatados “objetivamente” os resultados na reabilitação. Uma pesquisa neuropsicológica das habilidades cognitivas dos participantes também foi realizada.

Verificou-se que um senso de significado e propósito na vida (bem-estar existencial) não era um “preditor único” para todos os resultados. No entanto, “um senso de conexão com uma força poder superior” (bem-estar religioso) foi, de fato, um preditor único para satisfação com a vida, angústia e capacidade funcional. Em outras palavras, isso não ajuda a ter uma perspectiva positiva sozinha. A fé pessoal em Deus é, aparentemente, a chave.

A maioria dos participantes do estudo eram do sexo masculino (76 por cento), Africano-americanos (75 por cento) e Cristãos (76 por cento).

“Os indivíduos trabalham com as ferramentas disponíveis para eles, e talvez especialmente para aqueles com recursos limitados e poucas alternativas, a religião pode assumir grande poder como um recurso psicossocial”, Waldron-Perrine disse em um comunicado.

A pesquisa também observou que a participação em atividades religiosas públicas não tem qualquer efeito significativo sobre os resultados da reabilitação, algo que reafirma o fato de que a fé individual é mais importante do que marcar presença na Igreja.

O TCE pode ocorrer por meio de uma lesão na cabeça através de uma queda, acidentes, colisões e agressões. Ele pode trazer mudanças a curto ou em longo prazo na forma como o cérebro funciona e afeta o pensamento, sensação, língua ou emoções.

O Centro para Controle e Prevenção da Doença relata que, anualmente, cerca de 1,7 milhões de pessoas enfrentam um TCE e 275 mil delas têm de ser hospitalizadas.

Os homens estão em maior risco de TCE (59 por cento) e quase 22 por cento de todas as internações relacionadas à TCE envolvem adultos com 75 anos ou mais, de acordo com o CDC.

Embora as pesquisas anteriores tenham descoberto ligações entre o apoio social religioso e seu impacto positivo sobre a reabilitação de um paciente, esta pesquisa em particular indica firmemente uma conexão entre a crença religiosa pessoal e os resultados positivos para a saúde.

Os pesquisadores declaram: “Notavelmente, uma conexão de auto relato individual de uma força superior foi um preditor extremamente robusto de resultados objetivos e subjetivos”.

O artigo da pesquisa foi publicado na Psicologia de Reabilitação.

Christian Post / Portal Padom

Deixe sua opinião