Um crente muçulmano que vive no Egito, Hussein Mohammed, foi morto no domingo depois que sua família descobriu que ele havia se convertido do islamismo ao cristianismo.

O  homem que preferia ser chamado pelo nome batismal de George, havia postado várias fotos em sua conta do Facebook. Sua família sabia de sua conversão antes desses posts e seu tio havia feito queixas à Diretoria de Segurança. No entanto, essas postagens no Facebook foram um reconhecimento público de sua conversão. Ele incluía a foto de uma tatuagem de cruz que George havia feito no pulso, prática praticada por cristãos coptas ortodoxos egípcios.

O Egito é um país oficialmente islâmico, mas com a maior população demográfica cristã do Oriente Médio. Os cristãos são regulados como cidadãos de segunda classe, na melhor das hipóteses, e muitas vezes não têm a oportunidade de reivindicar seus direitos civis. Os muçulmanos que se convertem ao cristianismo, no entanto, são vistos pela comunidade islâmica de uma perspectiva ainda mais dura. Eles são vistos como apóstatas, o que significa que a descoberta pública de sua conversão os torna vulneráveis ??a serem vítimas de um assassinato de honra.

Deixe sua opinião