A minha inocencia será provada, diz Flordelis
A minha inocencia será provada, diz Flordelis

Flordelis se defende de acusações: “Não devo pagar pelos erros de ninguém”; veja discurso

Agora cassada, a ex-deputada Flordelis (PSD-RJ) reafirmou sua inocência no plenário da Câmara e disse sair “de cabeça erguida”. Flordelis é acusada pelo MP do Rio de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson do Carmo.

Após cassação do mandato, acusação protocola pedido de prisão para Flordelis

Após a cassação da deputada federal Flordelis (PSD-RJ) nesta quarta-feira (11), o advogado da família pastor Anderson do Carmo protocolou na Justiça do Rio um pedido para que seja feita a prisão preventiva da parlamentar.

Flordelis é acusada de ser a mandante do assassinato do marido, o pastor Anderson, em junho de 2019.

Em seu pedido, o advogado Ângelo Máximo argumenta que a prisão se justifica tendo em vista que Flordelis “não goza mais da imunidade parlamentar, que o véu da impunidade fora arrancado de si, nesta presente data, visando, agora, mais ainda, pela garantia da segunda fase da instrução criminal”.

O advogado representa Jorge de Souza, pai de Anderson e assistente de acusação no processo criminal no qual Flordelis é ré. Ele lembra também que outros suspeitos de participarem do assassinato do pastor – cinco filhos e uma neta da deputada – se encontram presos preventivamente.

O processo criminal ainda não foi julgado, mas os deputados consideraram que a atuação da parlamentar ao longo do caso feriu o Código de Ética da Câmara.

Eram necessários, pelo menos, 257 votos favoráveis à cassação para a perda do mandato. A cassação foi aprovada por 437 votos a 7.

Deixe sua opinião