‘Eu quero perdoá-lo’, diz adolescente que teve joelho destruído pelo atirador do cinema Aurora

Em meio à escuridão e do caos do tiroteio no teatro Aurora no mês passado, uma jovem de 18 anos deitada no chão, com seu joelho completamente destruído por uma bala perdida da arma do único suspeito do tiroteio, James Holmes. Enquanto as balas continuaram a cair em torno dela, Bonnie Kate Pourciau orava desesperadamente para que sua vida fosse poupada. Em última análise, a oração, da jovem foi ouvida, pois ela escapou com vida. No entanto, ela, desde então, sofrido várias cirurgias reconstrutivas que a deixaram em sua cama, com uma dor excruciante.

Mas, apesar do inferno que Bonnie Kate passou, ela disse para LifeSiteNews.com em uma entrevista por telefone na semana passada que ela fez a escolha de perdoar o homem que o mundo condenou como um monstro, sem coração e psicopata; Desejando simplesmente abraçá-lo, e dizer-lhe que a esperança e o perdão ainda se encontram disponíveis para ele.

“Quando fui baleada, no meio de todo o caos, eu realmente não acreditava que o atirador era uma pessoa que estivesse tentando matar”, disse Bonnie Kate na cama do hospital na semana passada. “Mas depois, como eu o vi na TV, eu só queria chorar”. Apesar de se sentir bem, ela diz que lamenta por que ele “não sabe a esperança de que nós cristãos temos, que não entende a misericórdia de Deus e que não conhece Jesus”.

Abre o homem, que estraçalhou sua perna Bonni Kate diz: “Sim, eu perdoaria. Eu faço. Estou em um monte de dor, e é difícil, mas eu vou perdoá-lo”.

Bonnie Kate disse para LifeSiteNews que na noite do tiroteio, ela e sua amiga Elizabeth Sumrall estavam voltando para casa em Baton Rouge, Louisiana de umas férias de 10 dias em Seattle, Washington, quando pararam em um hotel em Aurora. A senhora da recepção sugeriu que elas fossem ver o filme do Batman o Retorno do Cavaleiro das Trevas “The Dark Knight Rises” no cinema perto dali. “Eu não sou uma fã do Batman, mas eu pensei, oh, vai ser divertido”, contou ela.

Cerca de 15 ou 20 minutos de filme, Bonnie Kate lembra “algo parecido com um míssil voando pela tela e explodindo ao lado da tela.”

“Primeiro eu pensei que era alguém brincando, mas eu realmente não sabia o que era. Então, um cara começou a atirar bastante. As pessoas estavam gritando. Estava escuro e ruim”.

A polícia diz que o atirador, James Holmes, entrou no teatro vestindo de coletes táticos, uma máscara de gás, e empunhando três armas de fogo. Ele abriu fogo contra a multidão, ferindo dezenas e matando 13, incluindo feto de uma mulher grávida.

Durante a chuva de balas, Bonnie Kate lembra que puxou a sua amiga Elizabeth para o chão e agachou atrás das cadeiras do teatro.

“Naquele momento eu estava apenas orando dentro da minha cabeça: ‘Pai, por favor, proteja-nos, por favor, nos mantenha seguros. Eu não sei o que está acontecendo, mas, por favor, nos mantenha a salvo se isto for a sua vontade. Por favor, preserve as nossas vidas’”.

De repente, a jovem sentiu o que descreveu como um “grande beijo” em sua perna. “Eu não sabia o quão ruim, acreditava que qualquer que fosse, tinha apenas raspado em minha pele.”

Após ter sido copeada, Bonnie Kate agarrou  Elizabeth e começou a orar em voz alta, dizendo: “Pai, por favor, venha para o resgate. Preserve nossas vidas. Por favor, nos mantenha seguros”. Bonnie Kate lembra que, apesar de ter sido baleado, ela não estava com medo.

“Eu não sei como explicar isso, mas Deus me encheu de uma paz. Eu o senti tão perto, em volta de nós. E mesmo que eu estava em bastante de dor no meio da escuridão, caos, e presença do mal, senti que Deus estava próximo. Ele me encheu de paz, e eu não estava com medo”.

Em um momento Elizabeth, não sabendo da lesão de Bonnie Kate, gritou: “Corra! Temos que sair daqui”.

“Levantei-me, tentei correr, e ainda consegui dar alguns passos. Mas meu joelho estava completamente arrebentado – em todos os tipos de pedaços – apenas mingau lá dentro. Meu joelho se estalou todo para fora e não parecia mais uma parte do meu corpo, mas alguma coisa batendo para o lado”.

As meninas tentaram ir para a saída do edifício. Bonnie Kate lembra ter caindo e tentando se levantar de novo, mas apenas para cair novamente. Um estranho de repente, ofereceu seu apoio e a ajudou a cambalear para fora do teatro. A jovemr ferida foi colocada do lado de fora, policiais embrulhou sua perna, e a levou imediatamente ao pronto-socorro, onde esperou por mais de três horas antes de receber qualquer medicação para dor.

“Mesmo no meio da dor que era tão violenta que fez meu corpo todo tremer, senti que Deus existe, me segurando, e me consolando”, disse ela.

A primeira cirurgia em que Bonnie Kate, foi submetida teve duração de sete horas. Quando ela saiu da cirurgia, seus pais, Trace e Kathleen, tendo voado em um voo de emergência, estavam lá para cumprimentá-la. Eles se regozijaram de que sua filha tinha sobrevivido.

Falando de sua cama do hospital, Bonnie Kate diz que as cirurgias as várias reconstrutivas no joelho tem a feito sentir mais dor do que o próprio tiro.

“Tem sido muito difícil, mas Deus tem sido tão bom para me dar irmãos e irmãs, e uma mãe e seu pai e amigos que me amam e que estão aqui para mim, que estão orando por mim, e que me apoiam. Eu estou super grata.”

A jovem está fazendo fisioterapia para que ela possa um dia recuperar o uso de sua perna. Qualquer movimento da perna é “extremamente doloroso“, diz ela. Os médicos disseram que ela não será capaz de colocar peso na perna por pelo menos três meses.

Bonnie Kate diz que o tiroteio permitiu a ela “chegar a entender um nível de sofrimento que eu não entendia antes.” Mas é um sofrimento que lhe deu um coração para entender a dor e o sofrimento na vida de outras pessoas. Como ela está em sua cama de hospital, pensando em todas as pessoas que perderam membros da família, ela ora para que ela não se torne amarga ou cansada pelos tiros, e para que ela não venha abrigar em seu coração o ódio pelo homem que tão brutalmente exterminou tantas vidas, e prejudicou outros.

“Apenas quebra o meu coração a ver como a escuridão e a mágoa tomou conta deste homem. Ele apenas parece tão oco, vazio, e cheio de trevas. Meu coração se parte para ele e tem compaixão por ele.”

“Quando eu realmente penso sobre este assunto, eu gostaria de poder dizer a ele – e eu gostaria que ele pudesse entender e saber e sentir – que há perdão. Eu gostaria que ele pudesse se arrepender e ver como ele está doente, para que ele pudesse a ver o que ele fez e como ele afetou essas pessoas.”

Bonnie Kate diz que sua escolha de perdoar o agressor nem sempre tem sido fácil de viver.

“Às vezes eu vou ficar com raiva quando eu estou sofrendo e penso, ‘Oh! Por que ele fez isso? Mas então eu penso sobre onde ele está, e meu coração se parte para ele e eu só queria poder abraçá-lo e até mesmo dizer-lhe que há perdão. Eu gostaria que ele pudesse entender o seu pecado e entender o que ele fez, mas não para que ele se debruce sobre ele, mas para que ele seja capaz de transformar e entender que existe perdão de Deus, que enviou seu filho Jesus para morrer para as pessoas más e doentes como ele”.

“Quando as pessoas me dizem ‘Oh, Bonnie Kate, você é tão forte e surpreendente’, eu digo ‘eu não sou forte e surpreendente, mas eu tenho um Deus forte e surpreendente cuja graça eu dependo’”.

A jovem diz que seu relacionamento com Deus é o que faz toda a diferença.

“Eu não, eu não perdoaria. Eu faço. Essa é a misericórdia de Deus ali. Porque eu sei que na minha própria força, Bonnie Kate simplesmente iria odia-lo. Sim, eu perdoaria. Eu faço. Estou muita dor, e é difícil, mas eu vou perdoá-lo”.

Portal Padom

Traduzido e adpatado de LifeSiteNews por Portal Padom

Deixe sua opinião