Um novo estudo publicado no Journal of Religion and Health (Religião e Saúde), sugere que pelo menos para algumas mulheres de certa idade, há uma ligação entre o otimismo e a participação em serviços religiosos.

“Estudamos as práticas religiosas de quase 100.000 mulheres. É inegável a existência de uma forte ligação entre frequentar a igreja, sinagoga ou qualquer outra casa de culto, e uma visão positiva da vida”, disse Eliezer Schnall, professor associado de psicologia clínica da Universidade Yeshiva.

O estudo concluiu que as pessoas que freqüentam aos cultos regularmente têm 56% a mais de probabilidade a terem uma visão otimista do que aqueles que não freqüentam, e 27% a menos de probabilidade de terem depressão.

A pesquisa de Schnall, que focada em mulheres pós-menopáusicas, está longe de ser o primeiro a associar a freqüência à igreja com a  felicidade. Mas pesquisas anteriores também concluíram que pessoas que se dedicam a serviços religiosos comunais são mais capazes de enfrentar a vida.

Estudos anteriores notaram, no entanto, que parece amizades formadas nos cultos, ao invés do culto em si, são mais fortemente correlacionados com a felicidade.

Em um estudo de 2010, Chaeyoon Lim, um sociólogo da Universidade de Wisconsin, Madison, descobriu que pessoas que dizem que vão à igreja toda semana, mas dizem não terem amigos íntimos não são mais felizes do que as pessoas que nunca vão à igreja.

O diácono Thiago Dearo, da Assembleia de Deus – Madureira de Novo Horizonte, SP acredita que “ Frequentar a Igreja, e ter comunhão com os irmãos, é fundamental para a felicidade de todo o cristão.Pois na própria Palavra de Deus diz, ‘Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união.’”.

Fonte: Portal Padom

Com informações urbanchristiannews

 

Deixe sua opinião