Terrorista do Estado Islâmico ressurgem e prometem atacar os EUA e outros países

O Estado Islâmico pode ter perdido seu califado na Síria e no Iraque, mas nas montanhas do nordeste do Afeganistão o grupo cresceu dramaticamente e está novamente se preparando para atacar em escala global.

Os americanos se acostumaram a ouvir sobre carros-bomba no Afeganistão. Mas fontes da inteligência dizem que os ataques que ocorreram nas últimas semanas foram na verdade “corridas de prática” para ataques ainda maiores na Europa e nos Estados Unidos.

O Estado Islâmico está mais uma vez transformando o Afeganistão em uma base para o terrorismo internacional, de acordo com Ajmal Omar, membro do conselho provincial de Nangarhar.

“O Estado Islâmico não foi eliminado aqui. O Daesh ficou quieto por algum tempo para se reabastecer, então eles podem se mudar para outros distritos em grande número. Eles estão armados com franco-atiradores, equipamento de visão noturna e armas poderosas”, diz Omar. .

Em março deste ano, o ISIS perdeu seu reduto final na Síria, pondo fim ao chamado califado declarado em 2014.

Muitos assumiram que a luta contra o Estado Islâmico estava finalmente perto do fim. Mas os combatentes simplesmente se mudaram para o leste, para as montanhas do Afeganistão, onde cresceram de algumas dúzias para vários milhares.

O grupo está recrutando ativamente universidades, procurando afegãos com experiência em tecnologia capazes de viajar para o exterior, usar mídias sociais e ajudar a planejar ataques sofisticados.

Inacreditavelmente, alguns dizem que a melhor solução pode ser o Taleban, porque os dois grupos são rivais. Espera-se que os EUA ofereçam a retirada das forças dos EUA do Afeganistão se o Talibã impedir que o ISIS use o país como base para ataques globais.

Fontes de inteligência dizem que sem uma estratégia agressiva de contraterrorismo, o Estado Islâmico, operando a partir do Afeganistão, será capaz de realizar um ataque em grande escala nos EUA ou na Europa no próximo ano.

As autoridades americanas já prenderam oito pessoas com ligações ao ISIS no Afeganistão.

A guerra no Afeganistão custou aos EUA mais de um trilhão de dólares e mais de 2.000 mortos, e agora especialistas em segurança alertam que está prestes a se tornar uma base para o terrorismo internacional novamente.

Deixe sua opinião

WhatsApp
Entre e receba as notícias e artigos do dia