• As crianças foram encontradas domingo em ‘condição desumanizante’ na escola 
  • Sinais de tortura, incluindo cicatrizes e feridas, foram descobertos nas crianças 
  • O clérigo que dirigia a escola em Suleja, no estado do Níger, foi preso durante o ataque

Quinze crianças foram libertadas em uma operação no domingo após serem detidas e torturadas em uma escola informal do Alcorão na Nigéria, segundo Barron.

As crianças foram encontradas com cicatrizes e feridas, indicando que foram torturadas, relata Barron. Além disso, três correntes usadas para amarrar as pernas das crianças foram recuperadas pela polícia. As crianças tinham entre dois e dez anos de idade, disse um porta-voz da polícia.

O porta-voz afirmou que o clérigo que dirigia a escola, Umar Ahmed, 46 anos, foi preso na operação, segundo o Daily Mail .

Escolas islâmicas não regulamentadas são comuns na Nigéria, e não é a primeira vez que elas são expostas a maus tratos a estudantes. A polícia resgatou centenas de alunos dessas escolas em uma série de ataques no ano passado, informou Barron. Muitos dos resgatados também falaram em abuso duradouro de seus professores.

Apesar de sua má reputação, a parte norte da Nigéria apenas recentemente proibiu essas escolas com medo de espalhar o coronavírus COVID-19 , segundo informou Barron.

Deixe sua opinião