E SE VOCÊ ACEITASSE A JESUS EM 1950, COMO SERIA?

3
142

Imagine que você está em 1950 e aceita a Jesus numa igreja evangélica. Como novo-convertido você está alegre e feliz por sentir a presença de Deus, ser curado, liberto. Mas daí a algum tempo que você já está firme, algum irmão do ministério, ou mesmo um simples membro da igreja, senta-se ao seu lado, e diz:

“-Irmão, você ainda bebe refrigerantes? Olha agora nós somos nova criatura…
…devemos ser santos, como santo é o nosso Deus…tudo nos é lícito mas nem tudo convém…
…lembre-se que nós somos sal da terra e luz do mundo…”

E o mesmo argumento ele repete para se abster de shampoo, perfume, sabonete, sandálias, e o uso obrigatório do chapéu. Doutrina rígida das igrejas naquela época! A não adaptação a estes requisitos impediam o batismo nas águas, e para os membros, suspensão e exclusão.
E você se pergunta:

“-Meu Deus, mas o que tem a ver o refrigerante, o shampoo, o perfume, sabonete, e outros, com o fato de ser nova criatura?!…Eu uso todas essas coisas e não vejo nenhuma condenação!!!”

Para aquela época essas coisas tinham tanto a ver, como hoje ainda tem a bermuda, a camiseta, a mulher usar calça, brincos, pulseiras, para algumas igrejas. Podem ser minoria, mas uma enorme minoria que atinge principalmente cidades do interior. Hoje seria ridículo dizer que refrigerante é pecado até mesmo entre os mais legalistas. Muitos sequer sabem que esta doutrina existiu. Teria Deus mudado de idéia e liberado os ‘refri’?! A Palavra de Deus mudou?! Ou os preceitos dos homens não resistiram ao tempo???
Hoje, se um cristão usar uma bermuda decente, ou uma mulher cristã usar uma calça-comprida decente, os tais são vistos por alguns como “crentes fracos”. Mas os crentes que não usam bermuda, mas falam mentiras, caluniam o próximo, esses não são vistos como fracos. Mentiras, calúnias, fofocas, são pecados mais perdoados do que desrespeitar as leis da igreja. Disciplina-se mais por quebra de estatuto interno do que por desobediência a Palavra de Deus. Há uma diferença muito grande entre ser cristão e viver uma vida religiosa. Ser religioso é andar na posição da regra dogmática, é viver para agradar aos homens. Ser cristão é viver uma vida no caráter de Cristo.
Uma igreja que diz “Só a Escritura – Sola Scriptura”, não pode disciplinar pessoas em função de “doutrinas” que daqui a 20 ou 30 anos se tornam obsoletas. Não pode por anos a fio intimidar milhares de pessoas a não usarem camisas de manga curta (até o cutovelo), exigindo mangas nos pulsos, e simplesmente depois de algumas décadas, vermos obreiros e pastores usando o que proibiam, condenavam, excluiam. E uma das formas de intimidação que acho mais covardes são os contos de porta de igreja.

“-Olha, teve uma irmã que usou shampoo e o cabelo caiu todo…
…viu como é pecado…a mão de Deus pesou…”

Imagino como a mão de Deus será pesada sobre as pessoas que inventam estas historietas ainda hoje com relação a outras doutrinas, que também terão seu fim daqui a alguns anos. E é incrível como estas historinhas tem aceitação entre o povão, que nem ao menos procuram saber se é verdade, se há constatação de fatos. E mesmo que algumas sejam verdadeiras, isso não embasa dogmas, como se tivéssemos que seguir a Cristo por medo, retaliação, e não por amor, por novo nascimento.
Que o nosso amado povo evangélico venha a ler mais a Palavra de Deus e vivê-la.

“Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque fechais aos homens o reino dos céus; pois nem vós entrais, nem aos que entrariam permitis entrar”. (Mateus 23:13)

Denis de Oliveira

Deixe sua opinião

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui