Duas igrejas rastafári na Califórnia (EUA) que ofereciam a seus fieis cannabis (maconha) “para fins religiosos” foram obrigadas por um juiz local a suspender a oferta desse material, informa a revista Newsweek.

De acordo com a Igreja Oklevueha Native American Church, localizada na cidade californiana de San José, o ato de fumar maconha é “como um sacramento” que nos permite realizar “uma parte indispensável da nossa jornada espiritual”.

Da mesma forma, a congregação da Igreja Coachella Valley Church, localizada na mesma cidade, oferece a seus fieis por 10 dólares e promete aos futuros fieis a possibilidade de adquirir produtos com maconha. Esta igreja até gravou um vídeo promocional onde um personagem que afirma ser Jesus prega sobre os benefícios da maconha para a mente e a alma.

As autoridades locais ordenaram que ambas as instituições religiosas pusessem fim à oferta de cannabis ao público dentro de 10 dias, considerando que esta prática contradiz a lei, uma vez que nenhuma delas está registrada nos pontos de vendas de maconha medicinal autorizadas.

Nós não estamos dizendo que as pessoas não podem fumar maconha para fins religiosos“, explicou o advogado Rick Doyle. Ele explica “que não se pode vender da maneira que elas fazem”

Os proprietários das lojas ao lado das igrejas reclamaram da constante chegada de fiéis que “chegam a toda a velocidade” para adquirir o produto “milagroso” que chegam assustar seus clientes pelo cheiro forte que geram ao fumar cannabis nas imediações “durante todos os dias“.

Por sua parte, as congregações afetadas por esta restrição defenderam o uso desta droga pelos fiéis. “Nós abençoamos a cannabis antes de fumar através de uma breve oração“, dizem o responsável pela Igreja do Vale Coachella. O fiel deste culto acrescenta que a maconha ajuda a meditar até alcançar “um alto estado de alerta” e “pensamentos profundos”, bem como sentir a unidade com “a força vital Jah”.

Portal Padom

Deixe sua opinião