Diplomata iraniano destila ódio a Israel

Em 20/8 a Folha de S.Paulo publicou em sua seção Tendências/Debates um artigo do primeiro-secretário da Embaixada do Irã no Brasil intitulado O Futuro do Oriente Médio.

Trata-se de mais um exemplo da retórica do ódio e da pregação do extermínio de Israel que vem sendo repetida insistentemente por diversas autoridades iranianas, como o presidente Mahmoud Ahmadinejad e o aiatolá Ali Khamenei.

Vinda de um país que dá claros indícios de tentar produzir armas atômicas, este tipo de retórica é ainda mais assustadora.

Veja o que foi capaz o diplomata iraniano no pequeno, mas nobre, espaço cedido pela Folha:

Pregou a destruição de Israel:
“Sem dúvida, não haverá nenhum lugar na região para os sionistas no futuro.”

Negou qualquer possibilidade de acordo entre israelenses e palestinos através de negociações:
“Os povos perceberam que são inúteis e frustrantes as negociações com um regime que só conseguiu ficar em pé respaldado pelo Ocidente.”

Proferiu calúnias fantasiosas, como uma suposta pretensão israelense de dominar o Iraque:
“E o regime, que certa época pretendia dominar o território entre os rios Nilo e Eufrates, agora deve se esconder atrás do muro de proteção.”

Não escondeu seu desejo de que, no lugar de Israel, surja um estado radical islâmico nos moldes iranianos:
“Somente com a união e coesão nacional e seguindo o islã o povo palestino poderá libertar os seus territórios invadidos.”

Criticou o caráter democrático de Israel:
“Ao mesmo tempo, divergências internas apareceram, e esse regime sionista se deparou com a instabilidade interna.”

Não deixe este artigo sem resposta.

Leia o artigo na íntegra e comente na edição online da Folha

Envie email para as seções Painel dos Leitores e Tendências/Debates da edição impressa da Folha.

por: Renato Aizenman 

Israel na Web / Portal Padom

Deixe sua opinião