diabo e deusOs anúncios de carros quase sempre estão na vanguarda da publicidade. Milhões de dólares são investidos pelos fabricantes para divulgar as novidades anuais das marcas e os novos lançamentos.

Durante o SuperBowl, o programa com maior audiência da TV nos EUA, muitas dessas campanhas são testadas junto ao público.  É comum as empresas de publicidade fazerem avaliações para ver o quanto as pessoas gostaram ou não dos comerciais apresentados.

O comercial da Dodge, marca do Grupo Chrysler, levou o nome de “Então Deus fez o fazendeiro” apostou nos valores fundamentais da visão cristã do mundo, como fé, trabalho e família.

Alex McFarland, diretor do Centro de Cosmovisão Cristã e Apologética da Universidade de North Greenvilleé analista de mídia e criador do Projeto 2026 e da Conferência Verdade para uma Nova Geração.  Ele acredita que o anúncio de dois minutos do Dodge Ram foi feliz em usar um trecho do falecido radialista Paul Harvey falando sobre o trabalho duro e os desafios que os agricultores e pecuaristas enfrentam a cada dia.

O texto começa dizendo “E no oitavo dia, Deus olhou para baixo desde o paraíso e disse: ‘Eu preciso de um zelador. Então Deus fez o agricultor. Deus disse: ‘Eu preciso de alguém disposto a levantar antes do amanhecer e ordenhar as vacas, trabalhar o dia todo no campo, cuidar das vacas novamente, jantar e, em seguida, ir para a cidade e ficar até tarde em uma reunião do conselho escolar. Então Deus fez o fazendeiro.”


Do outro lado da moeda, a Mercedes-Benz também usou uma ideia espiritual para anunciar seu novo modelo, o CLA.  Uma série de comerciais de 30 segundos foram exibidos durante duas semanas. Sempre com um ar de mistério, mostravam uma nuvem negra entrando em um restaurante e colocando pra tocar a música “Simpathy for the Devil” [Simpatia pelo Demônio] do grupo Rolling Stones.

No dia em que o comercial “completo” foi ao ar, era possível ver o ator Willem Dafoe encarnando o Diabo que faz uma proposta a um homem na mesa do restaurante. Em troca de sua alma, ele poderá ter tudo o que desejar.

O homem então começa a se imaginar andando com a modelo Kate Upton, dançando com o rapper Usher e, claro, dirigindo uma Mercedes CLA.

Ele se vê diante do dilema: sucumbir à tentação ou resistir às forças do mal? Quando ele parece pronto a assinar, o outdoor que anuncia o carro mostra o preço “acessível” e o consumidor descobre que é muito mais fácil e barato adquirir o luxuoso carro do que ele pensava.


Curiosamente, os dois comerciais apresentam o mesmo produto, um automóvel, mas por trás existem conceitos espiritualmente antagônicos.

De um lado a vida dura, levada na dependência de Deus, a gratidão na hora da refeição, a valorização da família se traduzem em um conceito de felicidade e realização. Do outro, a vida fácil, mulheres, fama e poder. Tudo em troca de sua alma longe de Deus! Pode ter passado despercebido pra muita gente, mas os comerciais refletem exatamente a realidade da principal escolha da vida!

Gospel Prime

Deixe sua opinião