A plataforma de notícias, DailyMail.com informou que um porta-voz do Vaticano diz que não houve nenhum acordo.

Isso aconteceu depois que relatos da mídia do Oriente Médio afirmarem um acordo histórico entre o Vaticano e o governo saudita para construir igrejas cristãs no país árabe muçulmano.

O cardeal Jean-Louis Tauran se encontrou com a família real na Arábia Saudita durante sua visita este ano e pediu aos líderes do governo que tratem os cidadãos igualmente.

A Arábia Saudita tem um Centro Global de Combate à Ideologia Extremista, conhecido como Etidal por sua sigla em árabe.

O centro, que foi criado no ano passado, recebeu o cardeal como parte do objetivo do príncipe herdeiro, Mohammed bin Salman, de que diferentes religiões interagem no reino sunita, segundo o DailyMail.com.

“Ele (o príncipe herdeiro) tem dado passos na direção de uma reforma para lidar com os islamitas radicais e violentos na Arábia Saudita”, disse Travis Weber, diretor do Centro de Liberdade Religiosa do Conselho de Pesquisa da Família, à CBN News.

Neste momento, não há igrejas cristãs na Arábia Saudita; É o único país do Oriente Médio que não tem igreja, relatou DailyMail.com.

Uma atualização da “Washington del Family Research Council” Washington do Conselho de Pesquisa da Família incluiu um artigo sobre a negação do Vaticano de um acordo. O relatório disse: “Parecia bom demais para ser verdade, e talvez fosse”.

A Arábia Saudita é o número 12 na lista de Portas Abertas, que classifica os primeiros “50 países onde é mais perigoso seguir Jesus”, sendo o número 1 o mais perigoso.

Portas Abertas diz que é “muita alta a perseguição” dos cristãos na Arábia Saudita.

Portal Padom

Deixe sua opinião