Depois de 16 anos, acusado de matar menores vai a júri

0
108

O subsecretário de Trânsito Transportes Urbanos de Várzea Grande, Willian Tadeu Rodrigues Dias, de 45 anos, sentou-se no banco dos réus ontem para responder por homicídio qualificado após terem se passado 16 anos do crime que vitimou dois menores em Várzea Grande. O episódio o rebaixou a tenente reserva da Polícia Militar em 1993.
A previsão era de que o julgamento pelo Tribunal do Júri no Fórum de Várzea Grande se encerrasse por volta das 23h de ontem. A sessão teve início às 13h. Durante depoimento, Dias declarou-se inocente, mas mesmo assim pediu perdão à sociedade, a parentes das vítimas em nome da Polícia Militar e também a seus familiares. O tenente reserva chorou e disse que na época foi julgado pela imprensa.
O tenente reserva comandava em 1993 o 3º Pelotão do Cristo Rei, em Várzea Grande. Com outros três policiais, Aleixo Antônio de Campos, José Valentinho de Souza e Antônio Getúlio Vieira, ele teria executado dois jovens que supostamente praticaram roubos na região do Parque do Lago. Em frente aos jurados, ele disse que apesar do lapso temporal, recordava-se apenas de ter atendido no dia a um telefonema na unidade com a denúncia de que uma dupla estava organizando um assalto.
“Fomos lá e os dois foram detidos e levados para a delegacia. Como não tinham passagem anterior foram liberados e foram embora”. Os familiares do réu estavam convictos de que ele seria absolvido. A única testemunha do crime mudou a versão e disse não ter certeza de ter visto três rapazes entrando no carro da PM no dia.
Os jovens assassinados e com os corpos jogados em uma lagoa foram Hemisfério Peres Ferreira e Marcos José do Espírito Santo. Um terceiro teria sobrevivido. Além do cargo público, Dias hoje prepara-se para tornar-se pastor evangélico e lançar livro e DVD com sua história.

Diário de Cuiabá/www.padom.com

Deixe sua opinião

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui