Recentemente, Israel foi manchete dos principais jornais do mundo, mas não pelos conflitos. O motivo foi uma mulher não religiosa que decidiu sentar-se em um assento na parte da frente de um ônibus em um bairro religioso, onde mulheres devem sentar-se atrás. Os passageiros impediram o ônibus de seguir viagem enquanto ela não trocasse de lugar e fosse se sentar junto às outras mulheres.

O caso foi o estopim para que em todo o país se levantasse uma enorme discussão entre o mundo religioso e o mundo secular.

Os judeus ortodoxos procuram preservar ao máximo a espiritualidade da família. É por isso que nos bairros em que eles habitam, pede-se que as mulheres se vistam com modéstia. E existem praias específicas para os religiosos, onde homens e mulheres frequentam separadamente. Para eles, é proibido que a mulher se mostre em trajes de banho para outro homem que não seja seu marido.

Quem não quer seguir esse estilo de vida tem a opção de ir a praias comuns e andar de ônibus em linhas mistas. Vale destacar que Israel é um país democrático, em que há espaço para todos. O governo não impõe nenhuma prática religiosa aos cidadãos.

Portal Padom / Arca Universal 

Deixe sua opinião