img48a71c027a13cImagine um relacionamento ser baseado em brigas, medo e desconfianças. Com certeza em meio a estas situações as brigas aumentam fazendo com que tudo se torne uma “bola de neve”, muitas vezes insustentável. Porém, será que existem motivos para todos estes problemas? Ou são puras situações criadas pela própria mente humana?
As razões destes problemas podem acontecer devido a fatores variados como: ciúme excessivo, casos ocorridos em relacionamentos de pessoas próximas, baixa auto-estima, desconfiança em si mesmo e relacionamento desgastado. É o que diz a psicologa Erica Pinheiro.

Para a psicologa, é natural que se tenha ciúmes, já que isto vai significar um cuidado especial com a pessoa amada, mas quando se excede é preciso analisar o porquê deste sentimento. Segundo ela, a desconfiança não é um problema e sim um sintoma do que está havendo dentro do relacionamento.

Ela explica que quando o cônjuge presencia situações deste tipo com alguém próximo, principalmente com familiares, ou ainda se ele mesmo já vivenciou esta experiência no passado, terá forte tendência a desconfiança. “Nós estamos condicionados ao aprendizado conforme nos é passado. Geralmente, se alguém passou por isso, logo nos fala: ´Toma cuidado, comigo aconteceu assim mesmo…`, aumentando a fantasia na mente da pessoa que pensa estar vivendo isto em sua relação”, esclarece.

Sendo assim a pessoa logo imagina que a mesma situação vai acontecer com ela, caso não tome os devidos cuidados, começando assim uma alucinação da fantasia. Já no caso da baixa auto-estima, Erica diz que este fator transcende o parceiro. Ela afirma ser isto algo pessoal e cabe a própria pessoa resolver. É preciso que o individuo se ame, se valorize, independentemente do que vem do lado exterior.

Leia também!  A MULTIDÃO PODE ESTAR ERRADA

Falando de beleza é preciso que se viva isso, partindo de seu interior. “Se você não se conquistar, não há quem a conquiste”,diz. Ela segue explicando que no caso da desconfiança em si mesmo, isto vai acontecer com o sujeito que se menospreza por qualquer coisa. Confia em todos, menos nele mesmo. Quando o individuo confia em si próprio, se torna quase impossível imaginar que o parceiro possa estar fazendo algo que o venha ferir, já que não existe esta necessidade. Pois, a pessoa sabe que não é perfeita, mas completa a outra. Entretanto, Erica chama a atenção para um importante detalhe, o equilíbrio.

A estudante universitária Ana Carolina Pinto, de 20 anos, se lembra de situações bastante desnecessárias em seu relacionamento. “Várias vezes eu ligava para a casa dele e quando a sua irmã me dizia que ele estava dormindo eu nunca acreditava e ligava insistentemente para o celular mas, ele não atendia porque estava dormindo mesmo”, conta a jovem que afirma ter se arrependido destas atitudes.

Assim como não é certo se menosprezar, também não se deve ser auto-suficiente, acreditando não precisar de ninguém. Outro ponto crítico é o relacionamento desgastado:Para Erica, neste caso é preciso avaliar quais os pontos que devem ser melhorados, até que se volte ao que se conquistou no início do relacionamento.
Para a pessoa que passa por esta cobrança, a psicologa orienta que se tenha paciência pois está sendo “acusada” de algo que não está fazendo,mas é preciso ajudar a quem lhe acusa

Fonte Elnet / www.padom.com

Deixe sua opinião