Noticias Gospel Internacional Cristãos são detidos na Arábia Saudita por “conviver com o sexo oposto”

Cristãos são detidos na Arábia Saudita por “conviver com o sexo oposto”

Meca, na Arábia Saudita. – Alguns cristãos etíopes foram detidos na Arábia Saudita, durante uma reunião de oração. Sob acusação do governo saudita, de se misturar com o sexo oposto, de acordo com a International Christian Concern (ICC). Na Arábia Saudita, é ilegal aos homens e mulheres que não são da mesma família, estar na mesma habitação.

No dia 15 de dezembro, seis homens e 29 mulheres estavam participando de uma reunião de oração semanal, quando foram surpreendidos e detidos pela polícia. Os líderes cristãos acreditam que a acusação de “misturar com o sexo oposto” é apenas uma desculpa e que os cristãos foram presos por praticarem a sua fé, sendo que ainda eles não forma trazidos perante um tribunal.

“As autoridades sauditas acusam os cristãos pelo crime de misturar com o sexo oposto, por que se eles fossem acusados de praticar o cristianismo, estariam sob pressão das organizações internacionais dos diretos humanos, e assim como dos países ocidentais. Na verdade, quando um cristão foi detido, ele perguntou a um oficial saudita, a razão para a prisão, e ele disse que era por praticar o cristianismo“, disse um líder da igreja da Arábia Saudita, em uma entrevista a ICC.

“Peço às pessoas que pertencem ao reino de Deus, que mostrem sua solidariedade aos cristãos que foram detidos, para que falem em seu nome e peçam aos funcionários do governo para libertá-los”, ressaltou o líder cristão

Jonathan Racho da ICC enfatizou que a liberdade de religião e de culto é um direito fundamental reconhecido no direito internacional dos direitos humanos: “É irônico que a Arábia Saudita, sendo um país dedicado à construção de mesquitas em todo o mundo tome medidas drásticas contra os cristãos que adoram em suas casas. Exortamos os meios de comunicação aos órgãos de direitos humanos e outros para pressionar da Arábia Saudita e condenar suas ações.”.

Portal Padom

Deixe sua opinião