Patriarca ortodoxo grego de Jerusalém Theophilos III, foto, captura de tela, YouTube

Um importante clérigo cristão árabe em Israel diz que os cristãos evangélicos que apoiam Israel não são cristãos de forma alguma.

O Patriarca ortodoxo grego de Jerusalém Theophilos III (Hanna) de Sebastia, também conhecido como Atallah Hanna, tem uma longa história anti-Israel. Você quase poderia dizer que ele foi criado com isso.

Como os seus homólogos muçulmanos, esses líderes cristãos ortodoxos consideram Israel o intruso e não hesitam em compartilhar seus pontos de vista sempre que tiverem uma oportunidade.

Segundo a Wikipédia, o nome do patriarca, em grego e árabe, significa “dom de Deus”.

A última proclamação de Hanna afirma que os cristãos que se dizem sionistas não são realmente cristãos – ou, como ele disse, não pertencem ao cristianismo, relatou a mídia palestina.

Os evangelistas cristãos são o equivalente a púlpitos a serviço do empreendimento sionista“, disse ele à PMW. “Eles são inimigos dos valores cristãos … Eles estão mais próximos do judaísmo e do sionismo e não têm conexão com o cristianismo”.

Ele continuou.

Quando chegam à Palestina, não visitam a Igreja do Santo Sepulcro, nem a Igreja da Natividade, mas escolhem as colônias localizadas nas terras roubadas de nosso povo. como um sinal de solidariedade com a ocupação“, disse ele em um artigo no mês passado no jornal da Autoridade Palestina al-Hayat al-Jadida, informou a PMW.

A Igreja Ortodoxa Grega em Israel, cujos seguidores são esmagadoramente árabes palestinos, são os maiores latifundiários cristãos de Israel. Escusado será dizer que é uma questão complexa em ambos os lados. Enquanto a Autoridade Palestina ameaça a execução a qualquer um que venda terras aos judeus, os ortodoxos gregos são contra a venda de propriedade da igreja aos judeus.

Esta não é de forma alguma uma nova retórica para o patriarca grego, nem ele está sozinho entre os líderes cristãos ortodoxos árabes em Israel.

O ex-patriarca católico romano de Jerusalém Michel Sabbah, ganhador do “Prêmio Arafat”, nunca mascarou sua ideologia anti-Israel.

Para muitos israelenses, esses críticos sinceros são representativos do cristianismo. Talvez isso explique em parte porque muitos judeus israelenses são gratos pelos cristãos evangélicos que apoiam a narrativa bíblica do plano de Deus para Israel e seu povo.

Deixe sua opinião