Kim Jong Un, "não está preparado" para governar, disse Victor Cha, ex-membro do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, e um especialista em Coréia do Norte.

Um grupo de cristão da Coréia no Norte enviou uma carta ao novo líder do país, Kim Jong-Um, para que acabe com os abusos dos direitos humanos no país.

A carta diz que cerca de 24,5 milhões de pessoas que estão na Coréia do Norte, “estão vivendo com medo” por causa das detenções arbitrarias, desaparecimentos, tortura e morte

O grupo condenou o abuso feito pelo regime do país durante décadas, incluindo as prisões de aproximadamente 200 mil homens, mulheres e crianças por razões políticas, enviando-os para campos prisioneiros ou de trabalho.

Os cristãos pedem o fim da prisão de seus familiares, e que liberem os presos políticos acusados de “culpa por associação”.

A elite política vive “como reis”, enquanto milhões de norte-coreanos sofrem fome generalizada, desnutrição e falta de cuidados médicos.

Os grupos de direitos humanos chamam a Coréia do Norte para cumprir usa obrigações sob os tratados internacionais.

A carta foi enviada pela Coalizão Internacional para Deter os Crimes Contra a Humanidade na Coréia do Norte (ICNK) que reúne 40 organizações dos direitos humanos e a Anistia Internacional, Human Rights Watch e a Christian Solidarity Worldwide.

Ha Tae Keung, presidente da Open de Corea del Norte e membro da ICNK que tem um Comitê de Coordenação disse que: “Kim Jong-Un deve ver o seu legado. Ele tem a oportunidade de ser lembrado como o líder que restaurou a liberdade ao povo da Coréia do Norte. Ele pode levar o seu país a sair do isolamento e garantir paz e segurança para península coreana.”

Portal Padom

Com informações Noticias Cristiana

Deixe sua opinião