Um cristão identificado como Dr. Masood Ahmad, foi preso sob a lei de blasfêmia no Paquistão. Esta lei tem gerado uma grande preocupação, pois as pessoas que são acusadas de blasfêmia podem ser condenadas a morte.

cristão-condenado-islã-paquistãoDe acordo com as declarações de Ahmad, um grupo de militante conhecido como o Lashkar-e-Taiba, começou a fazer perguntas sobre Ahmadi (seita do Islã), causando supostas respostas ofensivas contra a religião.

De acordo com testemunhas que estavam perto do local, disseram que Ahmad nunca pregou e nem ofendeu a religião. Além disso, a policia encarregada de investigar rigorosamente as acusações de blasfêmia, nunca tomaram as suas declarações.

Ahmad não foi a única pessoa acusada nos termos desta lei. Na semana passada, um tribunal paquistanês condenou um homem britânico chamado Mohammad Asghar, uma sentença de morte por supostamente dizer que ele é profeta do Islã. No entanto, ele conseguiu voltar à sua terra natal por ser diagnosticado com esquizofrenia.

Um casal cristão do leste do Punjab, também foi preso há sete meses por supostamente enviar mensagens de texto insultar o profeta do Islã.

A lei da blasfêmia no Paquistão tem sido condenada como arcaica pelas organizações de direitos humanos, que dizem que ela se tornou uma arma poderosa usada contra adeptos de religiões minoritárias.

“Eles (os extremistas muçulmanos”, não vão ao tribunal no momento da audiência, eles assustam e levantam palavras de ordem e os juízes temem estes manifestantes. “Estamos tendo muita dificuldade em encontrar os advogados para os acusados de blasfêmia”, disse I.A. Rahaman, um dos principais ativistas dos direitos humanos no Paquistão.

Nos últimos anos tem ocorrido um aumento nas acusações em virtude da lei paquistanesa. De acordo com a Comissão de Direitos Humanos do Paquistão, foram apresentadas 34 acusações em 2013, enquando uma estatística fornecida pelo governo, afirma que houve 27 acusações, que foram apresentadas em 2012.

Keith Davies, representante do grupo “Cristãos Resgatados” do Paquistão, que é responsável em ajudar os cristãos diante da discriminação, explicou que muitos cristãos estão à espera de seus documentos de viagem para deixar o Paquistão em segredo, enquanto outros estão em prisão está à espera de seu julgamento. – cbn

Portal Padom

Deixe sua opinião