Está sendo velado nesta quarta-feira o corpo da estudante Ana Cristina Macedo, de 17 anos, atingida por uma bala perdida na noite desta segunda-feira em Heliópolis, favela na zona sul de São Paulo. O velório está sendo realizado na igreja Jerusalém Comunidade Evangélica, que fica no bairro. Um guarda municipal de São Caetano (Grande São Paulo) é acusado pelos moradores de ter feito o disparo fatal.
Em sinal de protesto contra a morte da garota, no início da madrugada de terça-feira, os moradores resolveram montar uma barricada de pneus e pedaços de madeira incendiados, a fim de obstruir a rua.
No final da tarde de ontem, manifestantes incendiaram três carros, ameaçaram e esvaziaram um ônibus, e interditaram várias ruas da favela. Carros do corpo de bombeiros e policiais da tropa de choque foram chamados para conter os manifestantes.
Em mais de três horas de manifestação, cinco ônibus e três carros foram incendiados, segundo a polícia. O choque usou bombas de efeito moral para conter os manifestantes, que atiravam pedras contra os policiais. Pelo menos um PM foi ferido na cabeça por um objeto.
Novamente, houve confronto com a polícia. Um PM ficou ferido e 21 pessoas acabaram presas.
eband/padom

Deixe sua opinião